PUBLICIDADE
Notícias

Cachorro que ajudou responsável a superar depressão é encontrado morto

Campanha na Internet mobilizou diversas pessoas na busca pelo animal, que morreu atropelado após se soltar da coleira e fugir

12:19 | 17/10/2016
Bruno, de camisa branca, está deitado enquanto o cachorro dorme com a cabeça encostada em seu ombro
Bruno, de camisa branca, está deitado enquanto o cachorro dorme com a cabeça encostada em seu ombro

[FOTO1]

Chegou ao fim neste domingo, 16, a busca por Alf, cãozinho da raça galgo italiano que havia fugido na última terça-feira, 11, e morreu atropelado após escapar da coleira durante passeio com o dono na Zona Sul do Rio. O paradeiro dele foi descoberto a partir de campanha que ganhou força na internet.

O drama do analista de documentação Bernardo Bortolotti começou durante uma corrida com o pet no Flamengo. Após a guia enroscar em um poste, a coleira afrouxou ao ponto de o cachorro conseguir se soltar e fugir assustado pelas ruas do bairro carioca.

Bernardo levou o caso para o Facebook e uma mobilização se deu dentro e fora da Internet. Diversas pessoas se sensibilizaram com a história dos dois, marcada por afeto e superação. O analista ganhou o cachorro enquanto enfrentava uma depressão, e a companhia do cão foi importante para vencer o problema.

“Estava há semanas sem querer sair de casa, sem querer ver a luz do dia e dormindo o dia inteiro. Não tinha vontade de viver e tinha emagrecido 10kg em poucos dias. Só quem já passou por uma depressão sabe como é difícil acordar e enxergar a vida como um nada. Nesse domingo, já estava sorrindo novamente. Sentei de frente para o Pão de Açúcar e ele ficou do meu lado olhando para a enseada quando a foto foi tirada. A vida voltava aos poucos a ser bonita”, escreveu Bernardo após descobrir a morte do companheiro.

[FOTO2]

“Ironicamente, hoje durante uma maratona no Aterro, no gramado entre as pistas onde ocorria o evento, um casal viu um cachorro parecido com o Alf sem vida. Tinha sido atropelado. Quis ver para conferir se era ele mesmo. Foi a caminhada mais dolorosa que eu já fiz na minha vida. Era ele mesmo. Reconheci pela manchinha na patinha e pelo rabinho fino e comprido. Desabei”, lamentou Bortolotti.

Mesmo triste pela perda, Bernardo ainda agradeceu a mobilização das pessoas e mandou um recado para os responsáveis de pets: “Peço apenas um último favor, que abracem, façam carinho e beijem muito os seus cães hoje. A felicidade tem quatro patas e está bem ao lado de vocês“, disse. Em seguida, concluiu: “Alf, meu querido amiguinho magrelo, te amo eternamente”.

Redação O POVO Online

TAGS