PUBLICIDADE
Notícias

Mãe de Rodrigo, agressor de Ana Hickmann, diz que o filho era um rapaz carinhoso e calmo

No fim do sepultamento, Wanda de Pádua diz não acreditar que o seu filho fosse capaz de ter tal comportamento. O corpo foi sepultado na manhã desta segunda-feira

14:12 | 23/05/2016
NULL
NULL
A mãe de Rodrigo Augusto Pádua, responsável pelo atentado contra a apresentadora Ana Hickmann, comentou sobre o comportamento do filho na noite deste sábado, 21.  “Meu filho era o melhor filho do mundo. Só eu conhecia meu filho. Não era ele quem fez isso. Era outra pessoa, entendeu? Porque o inimigo é terrível, ele ataca mesmo as pessoas 24 horas por dia”, disse Wanda Simões de Pádua. O ataque cometido por Rodrigo, 30, aconteceu no Hotel Ceaser Business, em Belo Horizonte, onde se encontrava a apresentadora. As informações são do site EGO. 
 
No fim da cerimônia de sepultamento, Wanda de Pádua conta do comportamento e da sua relação com o filho. Segundo ela, Rodrigo era um rapaz carinhoso, educado e não tinha envolvimento com drogas. “Era um filho sereno, um menino muito educado. Pode perguntar aos vizinhos lá. Era de casa para a academia, da academia para casa. Ele só saia comigo”, conta.
 [SAIBAMAIS2]
De acordo com a mãe, o rapaz de 30 anos foi a Belo Horizonte a passeio já que seu irmão morava na cidade.  Para ela, o que aconteceu foi uma fatalidade. “Tenho certeza de que ele não foi lá para fazer mal para ninguém. Ele só queria conversar. Mas como o destino foi cruel, tirou o meu filho de mim. Meu caçula, que eu amava tanto. Agora vai ficar no meu coração”, disse emocionada.
 
O corpo foi sepultamento nesta segunda-feira, 23, no Cemitério Municipal de Juiz de Fora, cidade natal de Rodrigo. Ana Hickmann realizou um Boletim de Ocorrência no Departamento de Investigação e Homicídios e Proteção a Pessoas de Belo Horizonte após o caso. A apresentadora ficou muito abalada com a situação. 
 
Em entrevista ao Domingo Espetacular neste domingo, 22, afirmou que as imagens parecem cenas de filmes. “É difícil de acreditar que aquela imagem, a cena, as palavras, os tiros, que tudo aquilo aconteceu. Na hora, em que ele entrou, a primeira coisa que passou na minha cabeça foi, ‘é um assalto, um arrastão”, comentou. 
 
Segundo ela, o rapaz entrou no quarto apontando a arma para ela e passou a ofendê-la. “Ele ficou o tempo todo com a arma apontada para mim. O tempo todo falando que eu não prestava, que eu era uma mentirosa. Pela primeira vez na vida, eu tive medo e tinha a certeza de que ia morrer”, conta a apresentadora.
 
Redação O POVO Online 
TAGS