Sensor criado por brasileira detecta câncer antes de surgirem os sintomasNotícias do Brasil
PUBLICIDADE
Notícias


Sensor criado por brasileira detecta câncer antes de surgirem os sintomas

Com uma técnica de bioreconhecimento, o sensor também poderá ser usado para o diagnóstico de hepatite e Alzheimer. Mas, por enquanto, os custos do aparelho precisam ser reduzidos

10:30 | 04/01/2016
NULL
NULL
A descoberta de uma cientista brasileira pode revolucionar o tratamento de câncer antes mesmo que os sintomas comecem a aparecer, e isso sem biópsia ou procedimentos invasivos. O sensor ultrassensível da brasiliense Priscila Monteiro Kosaka, 35, doutora em Química e integrante do Instituto de Microeletrônica de Madri, detecta a doença por meio de um exame de sangue.

Com uma técnica de bioreconhecimento, o sensor também poderá ser usado para o diagnóstico de hepatite e Alzheimer. O aparelho consegue descobrir a doença a partir de uma amostra pequena em meio a milhares de células, uma coisa que, conforme a cientista disse ao Uol, nenhum biomarcador fazia.

Segundo ela, o sensor funciona como um “mini trampolim”, com anticorpos na superfície, que quando "captam" a presença do câncer na amostra de sangue reagem e se tornam mais pesados.

Com isso, o dispositivo provoca uma mudança de cor das partículas, e possui taxa de erro de dois a cada 10 mil casos. O sensor está sendo testado há quatro anos, mas ainda precisa ser experimentado com amostras de doentes e biomarcadores de última geração.

Longo prazo
O custo do produto ainda precisa ser reduzido até chegar ao mercado, e, por enquanto a previsão é de que isso aconteça em dez anos. Depois, o dispositivo poderá ser utilizado em exames de rotina, sem a biópsia.

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) aponta que no Brasil são registrados 576 mil casos de câncer por ano.

Redação O POVO Online
TAGS