PUBLICIDADE
Olimpíadas
NOTÍCIA

Olimpíada: atletas holandeses em quarentena por Covid-19 denunciam condições de confinamento

Os atletas holandeses estariam em péssimas condições sem poderem abrir as janelas e locados em quartos muito pequenos

13:41 | 28/07/2021
Os atletas que testam positivo são isolados em quartos de um prédio separado da Vila Olímpica  (Foto: CHARLY TRIBALLEAU / AFP)
Os atletas que testam positivo são isolados em quartos de um prédio separado da Vila Olímpica (Foto: CHARLY TRIBALLEAU / AFP)

Isolados em quarentena em um hotel e sem condições de competir, atletas holandeses manifestaram frustração nesta quarta-feira, 28, denunciando o que descreveram como uma "prisão olímpica" e exigindo mais tempo ao ar livre. Todos os atletas participantes dos Jogos Olímpicos passam por exames diários e, caso apresentem resultados positivos, devem ser isolados ou hospitalizados.

LEIA MAIS: Tóquio registra recorde de casos de coronavírus em plenos Jogos Olímpicos

A organização olímpica holandesa denunciou, na terça-feira, 27, condições de isolamento "inaceitáveis" para seis membros de sua delegação em Tóquio confinados em "quartos muito pequenos", sem ventilação e luz do dia. "Não é o que se espera da organização japonesa quando se trata de isolar. Essas pessoas veem seus sonhos olímpicos desaparecerem e depois são colocadas em péssimas condições", disse Maurits Hendriks, diretor técnico do NOC-NSF, em coletiva de imprensa em Tóquio.

O NOC-NSF é a fusão do Comitê Olímpico Holandês (NOC) e da Federação Esportiva Holandesa (NSF).O diretor técnico e sua equipe afirmaram terem pedido durante meses à organização informações sobre os protocolos, mas nunca obtiveram resposta.

Em um vídeo postado no Instagram nesta quarta-feira, a skatista holandesa Candy Jacobs, de 31 anos, afirmou que continua apresentando resultado positivo oito dias após o início de sua quarentena. "Ontem (terça) entramos em greve porque precisamos de ar de fora, de tudo (...) porque nada abre. As janelas estão fechadas, as portas nunca abrem. Isso não está correto bom", criticou.

Ela e seus cinco companheiros compatriotas que estão na mesma situação - entre eles a lutadora de taekwondo Reshmie Oogink, um membro da equipe técnica de canoagem, o skiffer Finn Florijn e o tenista Jean-Julien Rojer - fizeram uma "greve" sem sair do hall do hotel.

Depois de 7 a 8 horas, eles acabaram com 15 minutos por dia de acesso a uma janela aberta, de acordo com Candy. Confinados cada um em seu quarto, os holandeses só podem sair para buscar comida, que é "a mesma todos os dias", também reclamou Oogink.

A lutadora de taekwondo publicou no Instagram um vídeo que mostra o que parece um espantalho sentado em sua cama, feito de seus pertences e equipamento esportivo. "Novo detido na prisão olímpica", ironizou na legenda do vídeo.

Nesta quarta-feira, 28, a imprensa holandesa anunciou a existência de um sétimo caso positivo na delegação da Holanda, no corpo técnico da equipe de remo.

 

kaf/sah/ras/etb/gr/aam/aa