PUBLICIDADE
Olimpíadas
NOTÍCIA

Judoca Rafael Silva estreia em Tóquio 2020 na busca de terceira medalha olímpica

Sétimo do ranking mundial da IJF (Federação Internacional de Judô), Rafael Silva entrará diretamente na segunda rodada nesta quinta-feira, 29

12:56 | 28/07/2021
O brasileiro Rafael Silva luta por sua terceira medalha olímpica após ser medalhista nas duas últimas Olimpíadas  (Foto: Reprodução/Instagram )
O brasileiro Rafael Silva luta por sua terceira medalha olímpica após ser medalhista nas duas últimas Olimpíadas (Foto: Reprodução/Instagram )

Rafael Silva estreia nesta quinta-feira, 29, nos Jogos de Tóquio, a partir das 23h (horário de Brasília), quando iniciam as lutas da chave dos pesos pesados (+ 100 kg) do judô, na Nippon Budokan. O atleta pode se tornar o primeiro brasileiro a ter três medalhas olímpicas em edições diferentes, após os bronzes obtidos nos Jogos de Londres, em 2012, e do Rio de Janeiro, em 2016.

Sétimo do ranking mundial da IJF (Federação Internacional de Judô), Rafael Silva entrará diretamente na segunda rodada, quando enfrentará o vencedor do duelo entre o polonês Maciej Sarnacki e o azeri Ushangi Kokauri. O judoca brasileiro assegura que não está preocupado com estatísticas que podem colocá-lo ainda mais na história do esporte do Brasil e entrará pensando luta a luta, sem fazer projeções.

LEIA MAIS| Olimpíada: Daniel Cargnin conquista o bronze na categoria até 66 kg do judô

“Prefiro não focar nos números e me concentrar nos treinamentos. É uma jornada inteira em um único dia. Treinei muito, mas cada ciclo olímpico é diferente. Tenho adversários diferentes, oponentes que subiram de categoria, que está bem mais dinâmica. O dia da competição é o dia mais importante da nossa vida. Vou tentar me manter focado e tentar sair com a medalha. Estou muito em poder lutar no berço do judô”, disse Rafael Silva.

Brasil no judô

O país tem duas resultados agridoces nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O gaúcho Daniel Cargnin conquistou a medalha de bronze na categoria até 66 kg (meio-leve) do judô, ao derrotar na disputa do terceiro lugar o israelense Baruch Shmailov com um waza-ari.  

Já no feminino, a judoca Maria Portela perdeu para a russa Madina Taimazova nas oitavas de final no judô feminino até 70kg. A luta entre a brasileira e a atleta do Comitê Olímpico Russo (ROC) durou mais de dez minutos somente no golden score (ponto de ouro).

A judoca Ketleyn Quadros também perdeu e foi eliminada. Na repescagem contra a holandesa Juul Franssen, a brasileira foi derrotada e não teve a chance de disputar o bronze na modalidade.