PUBLICIDADE
Mais Esportes
NOTÍCIA

Organização cogita Olimpíada de Tóquio sem presença de público

Definição sobre espectadores nas arenas olímpicas será tomada apenas em junho, semanas antes do início dos Jogos Olímpicos. Decisão depende do cenário pandêmico até o evento

18:10 | 28/04/2021
O presidente do COI, Thomas Bach (na tela), fala enquanto a presidente do Comitê Organizador de Tóquio 2020, Seiko Hashimoto, o governador de Tóquio Yuriko Koike e o Ministro Olímpico do Japão Tamayo Marukawa ouvem durante sobre Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio 2020 (Foto: Franck ROBICHON / AFP)
O presidente do COI, Thomas Bach (na tela), fala enquanto a presidente do Comitê Organizador de Tóquio 2020, Seiko Hashimoto, o governador de Tóquio Yuriko Koike e o Ministro Olímpico do Japão Tamayo Marukawa ouvem durante sobre Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio 2020 (Foto: Franck ROBICHON / AFP)

Os organizadores da Olimpíada de Tóquio adotaram medidas mais rígidas para combater o novo coronavírus (Covid-19) nesta quarta-feira, 28, incluindo um plano para examinar os atletas diariamente, enquanto tentam tranquilizar um público japonês cada vez mais cético em meio ao agravamento da pandemia.

Faltando três meses para os Jogos Olímpicos, o Japão está sendo prejudicado por uma campanha de vacinação lenta que provoca dúvidas sobre a viabilidade do evento. Parte da ira pública se voltou ao primeiro-ministro, Yoshihide Suga, que prometeu várias vezes que a Olimpíada acontecerá.

Os espectadores estrangeiros já foram excluídos, mas só se decidirá se espectadores do país poderão ou não assistir ao evento em junho, poucas semanas antes do início dos Jogos no dia 23 de julho.

A presidente da Tóquio 2020, Seiko Hashimoto, disse que, embora os organizadores queiram o máximo de espectadores possível, estão prontos para adotar todas as medidas para garantir a segurança.

"Estamos preparados para realizar os Jogos sem espectadores", disse ela em uma coletiva de imprensa após uma reunião para finalizar a segunda edição dos "manuais" de regras da Olimpíada e da Paralimpíada.

Os organizadores, entre eles o comitê organizador da Tóquio 2020, o Comitê Olímpico Internacional (COI), o governo japonês e o Comitê Paralímpico Internacional, disseram em um comunicado conjunto que "acionarão todas as contramedidas possíveis e darão prioridade máxima à segurança".

Quanto à segurança, os organizadores querem garantir ao público japonês que "fazem o que deve ser feito", disse Christophe Dubi, uma autoridade do COI, em uma entrevista coletiva por videoconferência.

Ele ainda defendeu a decisão de não tornar as vacinas contra Covid-19 obrigatórias para visitantes, dizendo que nem todo país tem acesso a elas.