PUBLICIDADE
Mais Esportes
NOTÍCIA

Seleção brasileira masculina de basquete conhece adversários do Pré-Olímpico

Sorteio da FIBA colocou Brasil no Grupo B. Competição disputada em Split, na Croácia, é a última chance de garantir vaga na Olimpíada de Tóquio

Victor Hugo Pinheiro
18:52 | 01/04/2021
Seleção brasileira de basquete disputa Pré-Olímpico da Croácia em junho.  (Foto: Divulgação / CBB)
Seleção brasileira de basquete disputa Pré-Olímpico da Croácia em junho. (Foto: Divulgação / CBB)

A seleção brasileira masculina de basquete conheceu os adversários do Pré-Olímpico, que define vaga na Olimpíada de Tóquio. A competição será disputada em Split, na Croácia, entre os dias 29 de junho a 4 de julho. A Federação Internacional de Basquete (FIBA) divulgou a tabela detalhada nesta quinta-feira, 1º, com o Brasil no Grupo B. A equipe brasileira jogará contra Croácia e Tunísia na primeira fase

O Pré-Olímpico é disputado por seis países e tem o seguinte formato: na primeira fase, as três seleções de cada grupo se enfrentam dentro das chaves. Avançam para as semifinais os dois melhores de cada grupo, totalizando quatro times. O primeiro do Grupo A pega o segundo do Grupo B, e o primeiro do Grupo B pega o segundo do Grupo A. Os dois vencedores fazem a final do Pré-Olímpico, onde se define o campeão e o classificado aos Jogos.

O Brasil estreia contra a Tunísia no dia 29 de junho e enfrenta a Croácia no dia seguinte, 30 de junho. Caso avance, a seleção brasileira joga a semifinal em 3 de julho, com a final sendo realizada na data posterior. O basquete brasileiro pode enfrentar na fase eliminatória Alemanha, Rússia ou México, que estão no Grupo A.

O técnico croata do Brasil, Aleksandar Petrovic, conhece bem a sede do Pré-Olímpico, além de ter comandado a Croácia nas Olímpiadas de 2016. Ele comentou sobre a dificuldade da competição e amenizou o fato de jogar contra seu país de origem.

“Vai ser um Pré-Olímpico muito complicado. Conduzi a seleção da Croácia em três momentos bem distintos: 1995, 2001 e 2016. E isso, seguramente, me faz conhecer a equipe e o ambiente muito bem. Não é a primeira vez que um treinador enfrenta sua ex-equipe. Isso já aconteceu outras vezes. Sou um profissional e estou 100% preparado para confrontar isso. Será importante saber como será jogado o Pré-Olímpico. Com público, sem público. Isso pode fazer uma boa diferença. E se chegarmos na decisão no dia 4 de julho, se for Brasil x Croácia, o staff e jogadores da Croácia sabem que conheço tudo sobre eles”, finalizou.