Azarenka diz que circuito feminino é mais equilibrado que o masculinoMais Esportes | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Azarenka diz que circuito feminino é mais equilibrado que o masculino

Para além de sua performance dentro das quatro linhas, Victoria Azarenka também merece destaque por sua atuação fora das quadras. Sempre empenhada em garantir o desenvolvimento do tênis feminino, a atleta de 29 anos de idade, vez ou outra, se pronuncia a respeito da modalidade e, desta vez, fez uma comparação interessante com o tênis [?]

14:15 | 25/12/2018

Para além de sua performance dentro das quatro linhas, Victoria Azarenka também merece destaque por sua atuação fora das quadras. Sempre empenhada em garantir o desenvolvimento do tênis feminino, a atleta de 29 anos de idade, vez ou outra, se pronuncia a respeito da modalidade e, desta vez, fez uma comparação interessante com o tênis masculino, o qual, segundo ela, é muito mais desequilibrado.

?Quando tivemos uma jogadora ganhando muitos títulos Grand Slam, as pessoas diziam que era chato, mas no tênis masculino isso é o que tem acontecido nos últimos 15 anos. Por mais que eu goste de assistir aos jogos de Rafa, Roger, Novak e Andy, eles estão ganhando todos os Grand Slams?, afirmou a ex-número 1 do ranking mundial da WTA, em entrevista concedida ao jornal Stuff, da Nova Zelândia.

?Nos últimos 15 anos, as gerações mudaram desde que entrei no circuito e agora me sinto como uma veterana. Algumas jogadoras, como a Serena e a Sharapova, continuam, e existem jogadoras que surgiram e que podem não ser tão consistentes ao longo do ano, mas que podem mostrar um grande jogo e grande potencial?, completou.

E os números comprovam a fala de Azarenka. Em 13 anos, apenas três jogadores quebraram a hegemonia dos quatro citados pela atual número 51 do mundo. Desde que Nadal conquistou seu primeiro Grand Slam, em 2005, apenas Stan Warinka, Juan Martín Del Potro e Marin Cilic conseguiram a proeza de conquistar um dos quatro troféus mais importantes do tênis mundial.

Já entre as mulheres, o cenário é completamente diferente. Tanto é que, nos últimos dois anos, oito atletas se tornaram campeãs de Grand Slams. Azarenka, por sinal, não faz parte deste grupo, embora seja bicampeã do Australian Open (2012 e 2013), finalista do US Open (2012 e 2013) e tenha alcançado as semifinais de Roland Garros (2013) e Wimbledon (2011 e 2012).

Gazeta Esportiva

TAGS