Hamilton celebra momento especial e comenta rivalidade com VerstappenMais Esportes | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Hamilton celebra momento especial e comenta rivalidade com Verstappen

Todos choram, alguns de tristeza e outros de alegria. Enquanto a Ferrari lamenta a estratégia mal-sucedida com Vettel e o desempenho ruim em Singapura, Lewis Hamilton é o dono da festa nas ruas de Marina Bay. Dono da melhor volta da história da pista no treino classificatório de sábado, o piloto inglês e atual campeão [?]

14:15 | 16/09/2018

Todos choram, alguns de tristeza e outros de alegria. Enquanto a Ferrari lamenta a estratégia mal-sucedida com Vettel e o desempenho ruim em Singapura, Lewis Hamilton é o dono da festa nas ruas de Marina Bay. Dono da melhor volta da história da pista no treino classificatório de sábado, o piloto inglês e atual campeão repetiu o alto nível na corrida, manteve a liderança de ponta a ponta e venceu sua sétima prova na temporada da Fórmula 1.

Desde o momento em que viu a bandeira quadriculada, Hamilton não escondeu a alegria e a satisfação com o triunfo, tanto no rádio com a equipe quanto depois da corrida. Em entrevista ainda na pista, o piloto da Mercedes exaltou seu momento ?monumental? e o desempenho neste domingo.

?Acredito que minha boa largada proporcionou que pudesse controlar o pelotão, controlar o ritmo e cuidar dos pneus, podendo forçar o ritmo quando fosse necessário?, disse. ?A posição de pista era tudo. Eu sabia que eles (Ferrari e Red Bull) seriam espetaculares neste fim de semana e que era preciso algo especial para superá-los. Foi um momento monumental para nós?, completou Hamilton.

Conhecido como um dos circuitos mais desafiadores da temporada por conta da temperatura e da alta umidade, Singapura sempre exige muito dos pilotos e o próprio Hamilton acusou o cansaço após a prova, admitindo a aparência de ter pilotado eternamente. Além disso, apontou um certo receio durante a prova no momento de uma confusão com Grosjean.

?Estou exausto. Foi uma corrida dura, parece que foi a mais longa da minha vida. Fico feliz que ela tenha acabado, ainda mais pelo azar que tive com o trânsito. Max provavelmente teve um pouco de sorte pensando nos pontos da pista em que ele alcançou os outros carros, já que não me deixavam passar. Meu coração estava na boca. Mas, uma vez que os passei, pude acelerar e escapar?, ressaltou, exaltando a rivalidade com Verstappen.

?Max me proporcionou uma boa luta. Ele teve um ótimo ritmo perto do fim da prova e eu pude manter o meu. Não saiba se eu podia fazer frente a ele, mas consegui abrir um pouco para conseguir vencer?, finalizou.

Gazeta Esportiva

TAGS