PUBLICIDADE
Esportes

Copa e tênis: entenda como os últimos dias foram históricos para a Croácia

A penúltima semana do mês junho de 2018 não será esquecida tão facilmente pelos croatas apaixonados por esporte. Para um país com pouca expressão tanto no futebol como no tênis, os últimos dias se tornaram um dos mais marcantes para um país que viveu muito da sua história na guerra e que recuperou sua independência [?]

07:45 | 25/06/2018

A penúltima semana do mês junho de 2018 não será esquecida tão facilmente pelos croatas apaixonados por esporte. Para um país com pouca expressão tanto no futebol como no tênis, os últimos dias se tornaram um dos mais marcantes para um país que viveu muito da sua história na guerra e que recuperou sua independência há menos de 30 anos.

Em meio ao calor da Copa do Mundo, os croatas tiveram a emoção de ver a seleção nacional golear a Argentina por 3 a 0 e garantir vaga para as oitavas de final do Mundial. Além do resultado inesperado, a Croácia pode se sentir orgulhosa por ser um dos países que ainda não perderam ponto no torneio e que vem atuando em alto nível em 2018. Com esse excelente rendimento, a expectativa pode ser até de igualar a fantástica campanha de 1998, quando na sua primeira edição, chegou até às semifinais da competição.

Já neste domingo, poucos dias depois do resultado histórico no futebol, os croatas assistiram dois tenistas do país derrotarem Roger Federer e Novak Djokovic, garantirem dois importantes troféus do calendário da ATP e aumentarem as chances para Wimbledon.

Atual número quatro do mundo, Marin Cilic enfrentou Djokovic tentando seu segundo título de ATP 500 na carreira. Mesmo jogando contra um dos maiores tenistas da história, o croata de 1,98 não abaixou a cabeça após a derrota no primeiro set e se tornou campeão em Londres. O atleta mantém sua ótima fase na temporada e tenta daqui alguns dias seu segundo título de Majors na carreira (o primeiro e único foi no Aberto dos Estados Unidos de 2014).

Quanto a Borna Coric, o jovem tenista teria que derrotar simplesmente Roger Federer para levantar seu troféu mais importante na carreira. Mesmo jogando na grama, piso favorito do suíço e então número um do mundo, o croata teve um desempenho impecável e venceu pela primeira vez o maior campeão de Grand Slams da história.

Gazeta Esportiva

TAGS