PUBLICIDADE
Esportes

Camilla Lopes conquista o ouro no trampolim nos Jogos Sul-Americanos

A ginástica brasileira garantiu o lugar mais alto no pódio neste sábado (2) com Camilla Lopes. A atleta saltou a mais de seis metros de altura para conquistar a medalha de ouro na ginástica de trampolim dos Jogos Sul-americanos Cochabamba 2018. A carioca, 12 vezes campeã brasileira, superou todas as adversárias durante as três fases [?]

12:00 | 03/06/2018

A ginástica brasileira garantiu o lugar mais alto no pódio neste sábado (2) com Camilla Lopes. A atleta saltou a mais de seis metros de altura para conquistar a medalha de ouro na ginástica de trampolim dos Jogos Sul-americanos Cochabamba 2018. A carioca, 12 vezes campeã brasileira, superou todas as adversárias durante as três fases da competição, as duas classificatórias, e a final para chegar ao lugar mais alto do pódio. Já são 22 meldalhas somadas para o país na modalidade no torneio.

Camila fez 51.930 pontos na final para garantir o ouro.  A colombiana Katish Recalde, com 51.085 pontos, ficou com a prata; seguida da argentina Mara Colombo, com 49.535, com o bronze.

Camila foi tão superior às adversárias que não precisou fazer sua série mais difícil na final. ?Hoje as notas foram mais altas que ontem. A nota da colombiana foi muito boa. Então optamos por fazer minha série mais fácil. Mas as vezes o mais fácil fica difícil. Eu tive que superar a pressão por ser favorita para levar o ouro para casa?, disse a atleta. ?Estou feliz demais. Competi bem nos dois dias e consegui levar essa medalha para o Brasil.  Fiz a minha parte. Difícil explicar o que estou sentindo?, disse Camila, carioca de 24 anos, completados no último domingo, dia 28.

Camila começou a praticar ginástica artística aos seis anos. Um ano depois experimentou a ginástica de trampolim e se apaixonou. Em 2012 chegou a seleção brasileira e não saiu mais.  A atleta, que hoje mora em Nova Jersey (EUA), é 12 vezes campeã brasileira e chegou à final dos Jogos Pan-americanos Toronto 2015. Isso tudo com medo de altura.

?Eu tenho medo de altura desde criança. Eu não consigo subir em um prédio alto e olhar para baixo. Em avião eu fecho a janela. Mas no trampolim eu sinto que estou voando. Como faço esse esporte desde criança, eu não sinto que estou saltando muito alto?, disse a atleta, que já quebrou o cotovelo, aos 14 anos, por ter caído fora do trampolim.

Camila treina a modalidade três horas por dia e mais uma de preparação física. Além disso, a brasileira é técnica de ginástica trampolim e artística nos Estados Unidos.

A próxima competição internacional da brasileira é o campeonato Pan-americano de Ginástica do Peru, que será classificatório para os Jogos Pan-americanos de Lima 2019. ?Faltam só dois anos para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Estou treinando muito forte para conseguir essa classificação olímpica?, disse a carioca, que não gosta de competir pressionada pelo favoritismo. ?Não gosto de ficar pensando que sou favorita. O meu papel é fazer a minha série da melhor forma e aguardar o resultado?, disse Camila, escolhida a melhor atleta brasileira da modalidade pelo COB no Prêmio Brasil Olímpico em 2014 e 2015.

Gazeta Esportiva

TAGS