PUBLICIDADE
Esportes

Apesar da vitória, Vettel não vê Ferrari no mesmo nível da Mercedes

Sebastian Vettel não se deixou levar pela empolgação da vitória deste domingo. Embora tenha superado a Mercedes no GP da Austrália, o piloto alemão admitiu que sua Ferrari ainda não está em condições de fazer frente à equipe atual campeã mundial. Na visão do piloto alemão, a diferença de desempenho do time rival no treino [?]

06:00 | 25/03/2018

Sebastian Vettel não se deixou levar pela empolgação da vitória deste domingo. Embora tenha superado a Mercedes no GP da Austrália, o piloto alemão admitiu que sua Ferrari ainda não está em condições de fazer frente à equipe atual campeã mundial. Na visão do piloto alemão, a diferença de desempenho do time rival no treino classificatório simboliza bem o que será a temporada caso a escuderia italiana não se mexa.

No treino classificatório, Lewis Hamilton não teve muitos problemas para garantir a pole position, ficando quase sete décimos à frente do segundo colocado, Kimi Raikkonen, da Ferrari. Porém, neste domingo, uma estratégia no pit stop, enquanto o safety car virtual estava na pista, fez com que Vettel retornasse na mesma colocação em que estava quando foi para os boxes, fato que o manteve na ponta até a última volta.

?Se você olhar a distância entre as duas equipes durante todo o fim de semana, não estamos fazendo frente à Mercedes ainda. Não estamos ainda onde queremos estar, porque queremos ser os mais rápidos?, afirmou Vettel.

Assim como aconteceu no GP da Austrália do ano passado, Vettel subiu no lugar mais alto do pódio neste domingo, contudo, o piloto alemão acredita que a situação de 2017 era completamente oposta.

?No ano passado tínhamos mais ritmo em relação à Mercedes. Ano passado estávamos colocando eles sob pressão. Embora Hamilton estivesse na liderança, demos um jeito de pressioná-lo e nos beneficiamos disso, porque tínhamos velocidade. Hoje acredito que não tivemos ritmo suficiente para disputar de igual para igual?, prosseguiu.

?Ainda temos ritmo suficiente para nos manter à frente e dificultar a vida deles, se mantendo perto ou tentando fazer algo. Comparando com os outros times, não pareceu que estávamos permitindo aproximação, então acho que tivemos um ritmo decente?, concluiu Sebastian Vettel.

Gazeta Esportiva

TAGS