PUBLICIDADE
Esportes

Estreante no profissional, Wild surpreende, mas perde e cai no Aberto do Brasil

Para um adolescente de 17 anos que fez sua primeira partida no circuito da ATP, Thiago Wild foi bem. Jogando no primeiro dia de disputa da chave principal do Aberto do Brasil de tênis, o competidor brasileiro deu trabalho ao argentino Carlos Berlocq, número 131 do mundo, mas sentiu uma lesão na reta final e [?]

22:45 | 26/02/2018

Para um adolescente de 17 anos que fez sua primeira partida no circuito da ATP, Thiago Wild foi bem. Jogando no primeiro dia de disputa da chave principal do Aberto do Brasil de tênis, o competidor brasileiro deu trabalho ao argentino Carlos Berlocq, número 131 do mundo, mas sentiu uma lesão na reta final e acabou sendo derrotado por 2 sets a 1, com parciais de 3/6, 6/3 e 6/2, perdendo vaga nas oitavas de final do ATP 250 de São Paulo. A partida da noite desta segunda-feira foi disputada na quadra central do Ginásio do Ibirapuera.

Essa foi a estreia de Thiago Wild no circuito profissional da ATP. A promessa de somente 17 anos foi convidada para a chave principal do Brasil Open, assumindo o papel de ?wildcard? e realizando sua primeira partida logo no dia inicial de disputa no saibro do país.

O jovem brasileiro começou a partida disposto a não facilitar as coisas para o rival. Confirmando seu serviço inicial com facilidade, Wild dificultou a vida de Berlocq no game seguinte, fazendo com que o argentino disputasse quinze trocas de bola até assegurar seu saque.

Na sequência do primeiro set, novamente o número 620 do mundo não sofreu resistência para dar sequência ao seu serviço e, colocando força ideal em seus backhands e forehands, surpreendeu o argentino e o público presente ao não se mostrar intimado pela ocasião e fazer um bom jogo. Ainda assim, erros de devolução definiram o game em favor de Berlocq, que encontrava muita dificuldade para confirmar seu saque.

O cenário do restante da rodada inicial foi o mesmo de quando o marcador estava empatado em 2/2. Enquanto Wild fazia um jogo fluido e não tinha problemas para assegurar a colocada de bola em jogo, o tenista número 131 do mundo via o adversário brasileiro responder bem ao seu serviço durante toda a parcial, inclusive quebrando o quarto saque do argentino no confronto. Assim, servindo para o triunfo no primeiro set, Thiago Wild não decepcionou e levou a parcial inicial: 6/3.

No início da segunda rodada, o paranaense não conseguiu manter a intensidade anterior e viu o ritmo cair, permitindo que Berlocq quebrasse seu segundo serviço no set. Mesmo se recuperando durante a parcial, o tenista brasileiro foi incapaz de alcançar a virada e o argentino, com uma exibição técnica, empatou o confronto em um set para cada lado, levando a partida para a disputa da terceira rodada, decisiva.

Durante o primeiro game da última parcial, Thiago Wild deu sinais de que a performance do set inicial se repetiria. Confiante, o competidor não deu chances ao rival e confirmou o serviço inicial. Entretanto, no segundo saque, aceitou a pressão do adversário sul-americano e permitiu a quebra, ficando em desvantagem: 2/1.

No restante do terceiro set, Carlos Berlocq, com o controle da partida, administrou o marcador em seu favor. Forçando o saque e fazendo uso dos golpes de aproximação de quadra, o argentino apostava em seu próprio serviço para ditar o ritmo da rodada. Enquanto isso, Thiago sentiu uma aparente lesão na coxa esquerda e não seguiu em condições ideais de prosseguir com o duelo, que terminou com vitória do número 131 do mundo.

O vencedor do confronto agora enfrenta, nas oitavas de final do Aberto do Brasil, o argentino Leonardo Mayer, que derrotou o português Gastão Elias também nesta segunda-feira, por 2 sets a 1 com parciais de 5/7, 7/6 (12-10) e 7/6 (7-5), após uma batalha de cerca de três horas de duração.

* Especial para a Gazeta Esportiva

Gazeta Esportiva

TAGS