PUBLICIDADE
Esportes

Nuzman tem pedido de habeas corpus negado pela Justiça e segue preso

Na noite desta quarta-feira, Carlos Arthur Nuzman, ex-presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), teve o pedido de habeas corpus negado pela Justiça e seguirá preso no Rio de Janeiro. O documento que negou a liminar feita pela defesa de Nuzman foi assinado pelo Desembargador Federal e relator do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, [?]

22:15 | 11/10/2017

Na noite desta quarta-feira, Carlos Arthur Nuzman, ex-presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), teve o pedido de habeas corpus negado pela Justiça e seguirá preso no Rio de Janeiro.

O documento que negou a liminar feita pela defesa de Nuzman foi assinado pelo Desembargador Federal e relator do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, Abel Gomes. O pedido havia sido feito pelos advogados do dirigente na terça.

Nesta quarta, Nuzman renunciou ao seu cargo no COB após 22 anos no comando da entidade. Na última semana, o ex-presidente do COB foi preso provisoriamente, sendo que a prisão preventiva do dirigente foi decretada na última segunda-feira.

Nuzman é acusado de participar do pagamento de propina para que o Rio de Janeiro fosse escolhido como sede dos Jogos Olímpicos de 2016. O brasileiro seria o responsável por comprar dois membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) para que a capital carioca vencesse a eleição, e teria tido a ajuda do empresário Arthur Soares, conhecido como ?Rei Arthur?.

A investigação foi denominada Unfair Play (jogo sujo) e é um desdobramento da Lava Jato. A prisão de Nuzman aconteceu no dia 5 de outubro, assim como a de Leonardo Gryner, diretor geral  do comitê da Rio 2016, e foram feitas pela Polícia Federal.

Gazeta Esportiva

TAGS