PUBLICIDADE
Esportes

FIA anuncia motores mais baratos e barulhentos a partir de 2021 na F1

A FIA revelou nesta terça-feira o primeiro projeto para a caracterização de motores da Fórmula Um, que devem entrar em vigor a partir de 2021. Apesar de manter o motor V6 de 1,6 litros, a entidade confirmou a abolição do MGU-H deixou claro a sua preocupação de aumentar o barulho dos carros e buscar baratear os [?]

12:45 | 31/10/2017

A FIA revelou nesta terça-feira o primeiro projeto para a caracterização de motores da Fórmula Um, que devem entrar em vigor a partir de 2021. Apesar de manter o motor V6 de 1,6 litros, a entidade confirmou a abolição do MGU-H deixou claro a sua preocupação de aumentar o barulho dos carros e buscar baratear os propulsores.

?De acordo com os objetivos delineados pela FIA para o futuro, estes regulamentos ? que incluem redução de custo, a manutenção da relevância rodoviária com a tecnologia híbrida e melhora do som dos carros para maior apelo aos fãs ? foram apresentados aos representantes dos fabricantes com um roteiro para o desenvolvimento da próxima geração de regulamentos?, esclareceu a entidade.

O documento revela ainda que as mudanças previstas foram desenvolvidas após um trabalho conjunto pela FIA e F1, além da utilização de dados e informações das equipes, fornecedores de motores e especialistas externos. O quadro geral para a definição da unidade de potência de 2021 estará em vigor e será publicado pela FIA no final de 2017.

Desta forma, o novo modelo de motor que a Fórmula Um deve ter em 2021 será:

? Motor 1,6 L V6 turbo híbrido;

? 3000 rpm, maior velocidade de rotações do motor para melhorar o som;

? Parâmetros internos de projeto prescritos para restringir custos de desenvolvimento e desencorajar projetos mais agressivos;

? A remoção do MGU-H;

? MGU-K mais potente com foco no uso manual na corrida junto com a opção de economizar energia ao longo de várias voltas para dar ao piloto um elemento de controle tático;

? Turbo único com restrições dimensionais e limite de peso;

? Armazenamento de energia e controle eletrônico padronizados;

? Alto nível de design externo prescrito para dar capacidade de troca de mecanismo em motor, chassi e transmissão;

? Intenção de investigar regulamentos mais restritivos de combustível e limite no número de combustíveis utilizados.

 

Gazeta Esportiva

TAGS