PUBLICIDADE
Esportes

Presidente da CBT explica polêmicas e banca atual capitão da Davis

Rafael Westrupp, presidente da Confederação Brasileira de tênis, garantiu, nesta sexta-feira, a permanência do capitão João Zwetsch no time do Brasil da Copa Davis, apesar da desclassificação da equipe do país na competição. Em entrevista ao site ?Tenisbrasil?, Westrupp culpou o desfalque de Thomaz Bellucci pela eliminação verde e amarela, decretada com a derrota para o Japão [?]

18:45 | 22/09/2017

Rafael Westrupp, presidente da Confederação Brasileira de tênis, garantiu, nesta sexta-feira, a permanência do capitão João Zwetsch no time do Brasil da Copa Davis, apesar da desclassificação da equipe do país na competição. Em entrevista ao site ?Tenisbrasil?, Westrupp culpou o desfalque de Thomaz Bellucci pela eliminação verde e amarela, decretada com a derrota para o Japão por 3 a 1.

?Tenho total confiança nele (Zwetsch). A derrota para o Japão aconteceu fundamentalmente em função da ausência de Bellucci. Com ele em Osaka, o resultado poderia ter sido diferente. Não contamos com o grupo ideal e isso às vezes acontece. Zwetsch vem desenvolvendo um bom trabalho há muito tempo e, a rigor, o único resultado fora do padrão foi a derrota em casa para a Croácia?, afirmou.

O presidente da CBT comentou as polêmicas envolvendo a equipe brasileira durante a disputa da competição internacional. Durante a Copa Davis, Guilherme Clezar cometeu um ato antidesportivo contra um juiz de linha, ao puxar seus olhos com os dedos, fazendo referência à característica do povo japonês, onde a partida estava sendo disputada.

?A CBT seguiu a hierarquia, acatando toda e qualquer decisão da ITF (Federação Internacional de tênis). Se fosse decidido por desclassificar o atleta ou por aplicar uma multa, ou ainda as duas penalidades ao mesmo tempo, a CBT acataria de imediato, deixando o julgamento para o Comitê da Davis, que fica em Londres e não possui interferência de países. A ITF decidiu pela multa de 1.500 dólares, que será paga pelo jogador?, explicou.

Por fim, Westrupp também analisou o episódio envolvendo Kei Nishikori, que teve seu nome cantado várias vezes na comemoração de aniversário do capitão brasileiro na Davis. No vídeo, publicado nas redes sociais, o grupo brasileiro fala um palavrão ao final, depois da menção do nome do japonês.

?Foi um descuido digital meu. Fizemos vários vídeos no restaurante e não conferi o vídeo por desatenção antes de postar na página. Se eu tivesse visto que havia um palavrão no vídeo, jamais teria pubicado, sendo presidente da CBT ou não?, contou.

?Nishikori foi quem deu a dica para o restaurante, mas fomos no restaurante errado. Aí surgiu a brincadeira de falar o nome dele o tempo todo, principalmente quando chegavam os pratos. Só mais tarde descobrimos que existem dois restaurantes com o mesmo nome e fomos no errado. Peço desculpas pelo erro da publicação que, com certeza, jamais acontecerá novamente?, finalizou.

Gazeta Esportiva

TAGS