PUBLICIDADE
Esportes

Léo Santos comemora lance heroico e se ?assusta? com assédio

A importante vitória do Corinthians diante da Chapecoense, por 1 a 0, não teve só protagonismo de Romero, que deu bom passe em profundidade, e Jô, autor do único gol da partida. Antes disso, aos 36 minutos do segundo tempo, o jovem Léo Santos salvou uma bola em cima da linha, em chute de Túlio [?]

14:30 | 24/08/2017

A importante vitória do Corinthians diante da Chapecoense, por 1 a 0, não teve só protagonismo de Romero, que deu bom passe em profundidade, e Jô, autor do único gol da partida. Antes disso, aos 36 minutos do segundo tempo, o jovem Léo Santos salvou uma bola em cima da linha, em chute de Túlio de Melo, e evitou a abertura do placar na Arena Condá, em Chapecó (SC).

Leia mais: Jô celebra ?bolinha feliz? e elogia partida de Léo Santos

Na manhã desta quarta-feira, no desembarque corintiano no Aeroporto de Guarulhos, o zagueiro foi bastante procurado. Ao lado do assessor do clube, ele comentou o feito heroico e o qualificou como um ?verdadeiro gol?.

?Ali foi um lance onde eu tive a percepção que o Cássio saiu para abafar e eu fui feliz na minha leitura em correr em direção ao gol para tirar a bola. Para nós, defensores, uma tirada em cima da linha é como se fosse um gol. Foi muito importante para mim?, disse.

Ainda pouco acostumado com o assédio da imprensa, afinal este foi seu quarto jogo como profissional do Timão, Léo Santos se assustou com a concentração de jornalistas à espera de suas declarações, e fez uma pequena ?confusão? sobre a coletiva.

?Pensei que a entrevista fosse no CT, eu não sabia que era no aeroporto (risos). Mas é tranquilo, estou me acostumando com isso. Foi no susto, mas tem que estar sempre preparado para qualquer ocasião?, brincou o camisa 14 do Corinthians, que soube reagir bem à eventualidade.

No próximo sábado, quando o líder do Campeonato Brasileiro recebe o lanterna Atlético-GO em seu estádio, em Itaquera, Léo Santos deve ser novamente titular da equipe, ao lado do zagueiro Pedro Henrique, de 21 anos, outro jovem da base. A provável terceira vez em que ele inicia uma partida como titular deve-se ao fato de Balbuena, Pablo e Vilson, lesionados, ainda estarem fora de combate.

?Temos total apoio do pessoal, do professor Fábio, o Osmar, que era meu treinador na base, todos conversam bastante com a gente. Temos que estar preparados, porque quando menos esperar vai surgir a oportunidade?, completou o feliz atleta de apenas 18 anos.

*Especial para a Gazeta Esportiva

Gazeta Esportiva

TAGS