PUBLICIDADE
Esportes

Titular da Sesporte, Euler Barbosa promete CFO pronto em agosto

Secretário estadual do Esporte desde junho, Euler Barbosa aponta prioridades e promete CFO pronto em agosto

11:51 | 09/07/2017
Secretário de Esportes do Ceará, Euler Barbosa, sentado, com mãos sobre a mesa
Secretário de Esportes do Ceará, Euler Barbosa, sentado, com mãos sobre a mesa

[FOTO1] 

Secretário-geral do Partido Republicano Brasileiro (PRB) no Ceará, Euler Barbosa assumiu a Secretaria do Esporte do Estado (Sesporte) no dia 1º de junho, após saída de Gelson Ferraz. Ele tem como tarefa dar vida à uma pasta que, principalmente a partir de 2014, tem sido ocupada por critério de acomodação política muito mais que por expertise na área. Em entrevista ao O POVO, Euler sala sobre propósitos à frente da Sesporte.

O POVO - Qual sua relação com o Esporte?

EULER BARBOSA - Fui criador e primeiro presidente da Associação Cearense de Bicicross, e estive sempre muito ligado ao esporte. Mas acredito que, acima de tudo, temos desafios que são eminentemente de gestão, e não necessariamente ligados ao dia a dia do esporte. Mesmo assim, tenho uma excelente equipe de educadores físicos, que passaram por federações, com experiência em eventos esportivos.

Nosso desafio primeiro é ter uma conscientização de que esporte tem que ser política de estado, e não política de governo.

OP - Quais são seus planos?

EB - Não adianta tentar expandir muito e não conseguir atender a tudo. Em primeiro lugar, por determinação do governador Camilo Santana, temos como prioridade levar o esporte para o Interior. Em agosto ou setembro iniciaremos o Programa Segundo Tempo nas escolas do Interior. Quem estuda de manhã vai ter esporte de tarde, e vice-versa.

A meta é atingir 130 municípios. Outro programa é o Campos do Ceará, que consiste em um kit desenvolvido para melhoria dos campos de futebol do Interior, com traves novas, redes, bolas, marcação de campo, material para treinamento, coletes... E a meta é atingir 500 campos.

OP - Sobre o Centro de Formação Olímpica, que já teve seis datas de entrega... Quando estará pronto?

EB - Nossa previsão é de que no início de agosto a gente receba o CFO totalmente concluído. A obra teve dificuldades porque a empresa responsável (Galvão Engenharia) teve obras paralisadas pelas denúncias (da operação Lava Jato). Mas, a obra está muito perto, falta 1,5%. Acredito que com pouco mais de R$ 1 milhão será tudo concluído.

OP - Qual será o modelo de gestão para o CFO?

EB - A gente espera no ano que vem relicitar o Castelão juntamente com o CFO. Seria um pacote só. Essa é uma ideia, mas, de imediato, estamos desenhando um modelo de Organização Social (OS), com alguns braços de captação de recursos. Pegaremos as confederações para que possam gerenciar cada modalidade. Cada federação cuidaria de sua respectiva área, e elas se juntariam a nós para captação de recursos. Pensamos num uso misto, afinal o CFO foi concebido para atletas de alto rendimento, mas, a princípio, não é isso que o governo está focando. A Sesporte seria a gestora em conjunto com essas federações.

OP - Qual o custo do governo com a Arena Castelão?

EB - Existe um contrato feito lá atrás (Parceria Público-Privada) que determina que o governo pague metade da manutenção mensal. Só que à medida que o estádio for sendo utilizado, esse valor baixa. O custo total é de R$ 1 milhão, sendo R$ 500 mil da Sesporte. Na minha gestão já conseguimos reduzir isso em R$ 75 mil.

OP - Será renovado o patrocínio aos clubes Ceará e Fortaleza?

EB - Ano passado houve a liberação de recursos, R$ 600 mil para o Ceará e R$ 500 mil para o Fortaleza. Já recebemos essa demanda, só que agora queremos fazer diferente. Queremos uma contrapartida social dos clubes, através de oferecimento de vagas nas escolinhas para crianças de escolas do governo, além de uma cota de ingressos para uso social. Haveria um rodízio com as escolas para a distribuição desses ingressos para as pessoas que não têm condições de pagar entrada. Não acho que vá haver algum tipo de oposição dos clubes a esta ideia.

OP - E a chance de Fortaleza receber a Copa América 2019?

EB - Estive recentemente na CBF, fui recebido pelo presidente Marco Polo Del Nero e pelo técnico Tite. Há uma disputa pela vaga entre Fortaleza e Recife, mas a gente acha que vai ganhar. Primeiro porque partimos na frente e segundo porque temos uma arena melhor que a de Pernambuco. O governo vai formalizar a intenção de cumprir todas as exigências e até o final de setembro terá tudo definido.

TAGS