Participamos do

Por dentro do cérebro: existe diferença de habilidades entre jogadores de CS e LoL? Especialistas explicam

Mira e coordenação motora são as principais habilidades desenvolvidas nos jogadores de ambas modalidades, dizem técnicos
13:37 | Out. 13, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Apesar de termos avançado na medicina nas últimas décadas, o cérebro continua sendo uma das partes mais complexas do corpo humano, sendo fruto de muitos estudos sobre diversos assuntos. Mas, como o nosso cérebro se comporta quando jogamos LoL e CS? Nosso time de apostas LoL conversou com técnicos, neurologista e fisioterapeuta para explicar para você.

Antes de mais nada é importante deixar claro que aquela divisão simplista de que o lado esquerdo do cérebro é focado somente na lógica e que o direito trabalha a criatividade é um mito.

Todas as atividades acionam ambos os lados, mas algumas puxam mais uma parte que outras. No caso de League of Legends (LoL) e Counter Strike: Global Offensive (CS:GO) não seria diferente: os dois lados são ativados. Mas, quais habilidades estão em jogo e o que, neurologicamente, elas requisitam mais?

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

CS:GO: mira, concentração e habilidade

De acordo com o treinador Apoka, da equipe de CS:GO da MIBR, dedicação, adaptação e espírito de equipe são necessários para se competir, porém a mira é essencial. “Muitas skills são importantes. Por exemplo, atitude rápida, uso de utilitários, inteligência do que está acontecendo no mapa, mas a mais importante é a boa e velha mira”, conta em entrevista exclusiva à Betway.

Segundo o neurologista Doutor Júlio Pereira, especificamente no CS:GO, os profissionais exercitam diversas atividades no cérebro de uma vez só. Pensando na mira, por exemplo, o cérebro acaba atuando na visão - para entender o que está acontecendo no jogo -, na coordenação - para mirar rápido em um oponente na tela - e também na capacidade de lidar sob estresse. Este é um exemplo de como tudo está interligado.

“Basicamente, no CS:GO, o que vai chamar atenção é justamente a atividade motora desenvolvida junto com a visão. Essas habilidades vão servir na hora que você vai mirar, na hora que você vai acertar e na hora que você vai coordenar essas duas habilidades. Além disso, tem o tempo de resposta também, que é o tempo em que você vê uma cena, imagina como vai agir e toma uma decisão”, explica.

LoL: a importância da comunicação


Já no LoL, a história é um pouco diferente, principalmente pelo quesito comunicação. De acordo com o técnico Abaxial, diversas skills devem ser trabalhadas em nível profissional. “Você precisa saber como jogar seu campeão, mas também precisa entender como seu inimigo vai jogar e como o seu time vai jogar. Essas relações mudam em tempos diferentes e espaços diferentes do mapa”, explica.

Porém, segundo o técnico, os profissionais precisam trabalhar juntos para colocar suas estratégias em vigor e, claro, comunicar o que estão fazendo no mapa. Afinal, “para fazer todas essas coisas, uma pessoa realmente precisa ter flexibilidade intelectual e um equilíbrio forte”, finaliza.

Já que cada decisão in game pode mudar a partida e tudo precisa ser feito coletivamente, como o cérebro consegue processar todas as possibilidades? O Doutor explica que, neste caso, o córtex frontal acaba sendo o mais utilizado: é a nossa área de planejamento.

“No caso do LoL, você precisa tomar decisões estratégicas e coletivas de forma rápida. Além, é claro, da capacidade motora e de concentração. Essa é a grande diferença para os jogos que você precisa de interação humana: você tem que pensar na sua atuação, na atuação do seu time e imaginar o contra-ataque que irá ocorrer do seu adversário”, afirma o neurologista.

Além das habilidades: a fisioterapia esportiva


A fisioterapia esportiva é outro ponto relevante para que as habilidades sejam desenvolvidas quando se compete em nível profissional. As sessões têm como objetivo prevenir lesões, limitar danos e reabilitar quando necessário.

As maiores equipes do cenário profissional trabalham com fisioterapeutas, mas, afinal, qual o objetivo destes exercícios?

“A médio e longo prazo têm o objetivo de prevenir lesões futuras pelo mal uso muscular nas atividades, limitar danos articulares e neuromodulação para melhorar a propriocepção do indivíduo, proporcionando melhor desempenho na atividade profissional”, explica o fisioterapeuta Regis de Lima Neves.

CS vs LoL: por dentro do cérebro dos pros

Entendendo que é necessário ser um estrategista, ter ação rápida, boa comunicação, foco, conhecimento de jogo, trabalho de equipe e paciência na hora de jogar ambos games, a pergunta final é: qual lado do cérebro é mais ativado em cada uma das modalidades?

Em ambos os jogos, o hemisfério esquerdo é o mais utilizado, mas nem de longe isso é o mais importante. Para o Doutor Júlio Pereira, o que chama mais atenção é a neuroplasticidade dos jogadores profissionais de Esports de ambas as modalidades.

“O cérebro de um jogador profissional acaba, com o tempo, preparando-se para utilizar algumas habilidades que, no mundo real ou de quem não é gamer, não é utilizada de forma tão intensa”, finaliza. Este é o caso, por exemplo, da mira para o CS:GO e da visão estratégica, boa comunicação e ação rápida para o LoL.

Ou seja, exatamente por isso podemos afirmar que os pro players dessas modalidades são fora da curva quando o assunto é mira e reflexo rápido, por exemplo. Afinal, eles possuem o combo dos sonhos: muito treino, bons profissionais em volta e um quê de aptidão natural, claro.

Betway Insider

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags