PUBLICIDADE
Esportes

Indefinição política atrapalha negociações no Vasco

O momento político do Vasco está cada vez mais conturbado. Minutos depois do presidente Alexandre Campello viajar para a Rússia para acompanhar a fase final da Copa do Mundo, o vice-presidente geral Elói Ferreira tentou entrar na sala de presidência, mas a encontrou trancada. Assim, acionou a Polícia, contrariando a segurança do clube, e o [?]

11:30 | 27/06/2018

O momento político do Vasco está cada vez mais conturbado. Minutos depois do presidente Alexandre Campello viajar para a Rússia para acompanhar a fase final da Copa do Mundo, o vice-presidente geral Elói Ferreira tentou entrar na sala de presidência, mas a encontrou trancada. Assim, acionou a Polícia, contrariando a segurança do clube, e o tumulto se instalou.

Elói foi nomeado presidente pelo presidente do Conselho Deliberativo e líder do ?Identidade Vasco?, Roberto Monteiro, que entendeu que o cargo ficou vago com a viagem de Campello. Porém, o presidente, antes de embarcar, deixou documento protocolado informando que o Cruz-Maltino ficaria sob o comando do vice-presidente de Finanças, João Marcos Amorim. O fato não foi aceito por Monteiro e Elói, que são oposição à atual diretoria.

A indefinição pode durar até Campello retornar, em 15 de julho, com trocas de liminares e visitas da Polícia Militar. O problema é que o drama emperra as negociações envolvendo jogadores. Um exemplo disso é que o atacante argentino Andrés Ríos, com contrato até sábado, não sabe a quem se posicionar para discutir o futuro, uma vez que o Defensa Y Justicia, da Argentina, dono de seus direitos federativos, só aceita uma negociação em definitivo.

Além disso, outras transações importantes, como a renovação de contrato do meia Wágner e a chegada de reforços, continuarão paralisadas. O clube, por exemplo, foi informado que não teve sucesso na proposta ao atacante paraguaio Lucas Barrios, ex-Grêmio e que está acertando com o Colo-Colo do Chile.

Dentro de campo o elenco segue treinando normalmente sob o comando do técnico Jorginho. O próximo jogo do Vasco será somente em 16 de julho, quando o time recebe o Bahia, no Rio de Janeiro, pela rodada de volta das oitavas de final da Copa do Brasil.

Como perdeu por 3 a 0 na ida, o Cruz-Maltino vai precisar golear por quatro ou mais gols de vantagem se quiser um lugar nas quartas. Pelo Campeonato Brasileiro, o próximo desafio será em 19 de julho, também na capital carioca, quando acontece o clássico contra o Fluminense. O time vascaíno é o 11º colocado com 15 pontos.

Gazeta Esportiva

TAGS