PUBLICIDADE
Esportes

Campello corre risco real de perder o cargo no Vasco

Vivendo seu pior momento desde que assumiu a presidência do Vasco, Alexandre Campello está vivendo um risco real de sofrer um impeachment e sequer completar seu primeiro ano à frente do clube. Isso porque ele perdeu o principal apoio que o levou ao cargo: o grupo Casaca, liderado pelo ex-presidente Eurico Miranda, que ficou revoltado [?]

12:30 | 07/05/2018

Vivendo seu pior momento desde que assumiu a presidência do Vasco, Alexandre Campello está vivendo um risco real de sofrer um impeachment e sequer completar seu primeiro ano à frente do clube. Isso porque ele perdeu o principal apoio que o levou ao cargo: o grupo Casaca, liderado pelo ex-presidente Eurico Miranda, que ficou revoltado com a divulgação de um balanço financeiro do clube referente ao ano passado. O fato, tratado como traição política, aproximou Eurico de Roberto Monteiro, que lidera o grupo ?Identidade Vascaína?. Ambos possuem maioria no Conselho Deliberativo, o que representa um risco real para Campello. O processo pode ser aberto por dois terços deste Conselho.

A divulgação do balanço teve como principal consequência a saída de 13 vice-presidentes de sua gestão. Todos eles, ligados ao grupo Identidade Vascaína, saíram revoltados e alguns deles inclusive fazendo acusações e ameaçando mostrar algumas provas.

Isolado, Campello foi procurar a ajuda de Fernando Horta, que na eleição passada se juntou a Júlio Brant, do ?Sempre Vasco?, que ganhou o pleito junto aos associados, mas que acabou perdendo a eleição no Conselho Deliberativo. Mesmo tendo sido vítima naquela situação, onde Campello e Eurico teoricamente teriam se unido para derrubar Brant, Horta se mostrou disposto a ajudar o atual mandatário.

Um apoio importante a Campello foi dado por José Luis Moreira, dono de uma frota de táxi e que carrega muitos votos da colônia portuguesa. O Zé do Táxi, como é conhecido, divulgou nota de apoio ao atual presidente e nos próximos dias deverá ser confirmado como vice-presidente de futebol.

Júlio Brant, por sua vez, divulgou nota dizendo que não foi procurado pela atual gestão para qualquer tipo de apoio.

Dentro de campo, o técnico Zé Ricardo, passada a goleada de 4 a 1 sobre o América-MG pelo Campeonato Brasileiro, foca as suas atenções para a estreia na Copa do Brasil, diante do Bahia, na quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA). O duelo é válido pela rodada de ida das oitavas de final, fase em que entraram os brasileiros que disputam a Copa Libertadores.

Gazeta Esportiva

TAGS