PUBLICIDADE
Esportes

Eleição vascaína ainda não tem data para ?acabar?

O Vasco elegeu na terça-feira seu presidente para o próximo triênio. Eurico Miranda, da chapa ?Reconstruindo o Vasco?, foi reeleito com 2.111 votos, contra 1.975 de Julio Brant, da chapa ?Sempre Vasco Livre?, seu perseguidor mais direto. Porém, o pleito foi parar na Justiça por conta de uma urna lacrada, contendo 475 votos, que é [?]

11:30 | 09/11/2017

O Vasco elegeu na terça-feira seu presidente para o próximo triênio. Eurico Miranda, da chapa ?Reconstruindo o Vasco?, foi reeleito com 2.111 votos, contra 1.975 de Julio Brant, da chapa ?Sempre Vasco Livre?, seu perseguidor mais direto. Porém, o pleito foi parar na Justiça por conta de uma urna lacrada, contendo 475 votos, que é considerada suspeita. Isso por que o grande número de sócios que lá votaram se associaram ao clube em um curto intervalo de tempo e sem registros de pagamentos na secretaria do clube. Nesta urna Eurico teve uma larga vantagem sobre Brant, contrariando o resultado das demais. O processo, mesmo com o Juízo pedindo urgência, não tem data para terminar.

Eurico Miranda, como atual presidente, homologou o resultado. Mas as chapas de oposição não assinaram a ata da eleição. Alguns veículos de imprensa divulgaram informações nesta quinta-feira sobre irregularidades nos cadastros dos sócios da urna lacrada, como, por exemplo, o mesmo número de telefone ou endereços semelhantes para diversos associados. Além disso, a entrada de sócios em datas onde a secretaria não funciona.

?Vamos trabalhar pensando na melhor estratégia judicial. Isso precisa ser feito com inteligência. Mas me considero presidente do Vasco?, disse Brant.

A Justiça agora, como próximo passo, vai cruzar os dados dos sócios dessa urna, um total de 475, com os dados dos 691 sócios colocados como suspeita em uma outra ação judicial movida anteriormente pelo candidato Fernando Horta, da chapa ?Mudança com Segurança?, que ficou na terceira colocação. Esses associados se juntaram ao clube entre novembro e dezembro de 2015. Em seguida, comporvadas suspeitas, o Vasco terá que demosntrar o pagamento desses sócios. A oposição alega que realmente não exista registro de entrada de dinheiro vindo dessas associações. O trunfo de Eurico Miranda é que as contas do clube referentes a 2015 foram aprovadas.

?Estamos bem tranquilos. Onde já se viu o sócio sair de casa, votar e depois ter seu voto anulado?, disse Eurico.

Caso não sejam comprovadas suspeitas, o resultado será mantido pela Justiça. Mas em caso de vitória da oposição um outro processo pode ser aberto por sócios que estejam em situação legal comprovada, tenham votado naquela urna e venham a ter os votos anulados. Eles podem alegar que tiveram o direito de escolher o presidente retirado. Vale lembrar que se a urna for lacrada, todos os votos são impugnados.

Dentro de campo, o elenco participou de um trabalho regenerativo, animado pela vitória de 2 a 1 sobre o Santos na Vila Belmiro. O próximo compromisso será neste domingo, às 17h (de Brasília), diante do São Paulo, em São Januário, no Rio de Janeiro (RJ), pela 34ª rodada do Brasileirão. Para este compromisso o Cruz-Maltino terá os retornos do lateral-direito Madson e do atacante Luis Fabiano, que cumpriram suspensão diante do Peixe. Já o volante Wellington fica de fora por conta de acúmulo de cartões amarelos. Nesta sexta-feira o plantel treina na parte da manhã em São Januário.

Gazeta Esportiva

TAGS