Diogo Vitor recorre e espera voltar a jogar pelo Santos em abrilSantos Futebol Clube | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Diogo Vitor recorre e espera voltar a jogar pelo Santos em abril

Diogo Vitor espera estar apto a jogar novamente pelo Santos em abril de 2019. A expectativa é reduzir a punição após o flagra no exame antidoping para um ano. O atacante foi punido nesta terça-feira, em julgamento no Rio de Janeiro, com dois anos de suspensão. O gancho teve início no dia 26 de abril, data [?]

06:15 | 31/10/2018

Diogo Vitor espera estar apto a jogar novamente pelo Santos em abril de 2019. A expectativa é reduzir a punição após o flagra no exame antidoping para um ano. O atacante foi punido nesta terça-feira, em julgamento no Rio de Janeiro, com dois anos de suspensão. O gancho teve início no dia 26 de abril, data da suspensão preventiva.

O atleta de 21 anos admitiu o uso recreativo de cocaína em uma festa, sem finalidade esportiva, o que fez a punição diminuir de quatro para dois anos. Mesmo assim, seu advogado tem cinco dias para recorrer e buscar um resultado ainda melhor nos dois próximos julgamentos, no tribunal pleno e tribunal arbitral do esportes (CAS). O pleno ocorrerá ainda em 2018.

?A pena caiu porque provamos o uso recreativo e sem finalidade esportiva. A redução pela metade já foi um grande êxito. Agora é trabalhar para reduzir ainda mais?, disse o advogado de Diogo Vitor, Cristiano Caús, à Gazeta Esportiva. 

Diogo foi pego no doping na partida contra o Botafogo, pelas quartas de final do Campeonato Paulista. Desde o gancho preventivo, o Santos se colocou à disposição para tratamento, mas o atleta não acatou. Por determinação da FIFA, ele não pode frequentar as dependências do CT Rei Pelé.

Em contato com o presidente José Carlos Peres, Diogo Vitor disse que passa dificuldade com a sua família, em Santana da Vargem, no interior de Minas Gerais. Ele recebe uma ajuda mensal de seus empresários, mas não do Alvinegro.

O Peixe gostaria de ver Diogo em reabilitação por conta do uso de cocaína e colocou seu departamento jurídico à disposição, porém, tem muita dificuldade em contatá-lo e recebe poucas notícias do atleta, assim como seus representantes.

Gazeta Esportiva

TAGS