PUBLICIDADE
Esportes

Vanderlei conta plano do Santos para Libertadores e teme altitude: ?Só quem vive sabe?

A 10 dias da estreia, o Santos já pensa na Libertadores. O Peixe vai jogar a primeira partida contra o Real Garcilaso, em Cuzco, no Peru, às 19h15 (de Brasília), em altitude de 3.400 metros. O goleiro Vanderlei diz que o alvinegro já prepara a logística para a viagem. O planejamento é de viajar na [?]

21:30 | 19/02/2018

A 10 dias da estreia, o Santos já pensa na Libertadores. O Peixe vai jogar a primeira partida contra o Real Garcilaso, em Cuzco, no Peru, às 19h15 (de Brasília), em altitude de 3.400 metros. O goleiro Vanderlei diz que o alvinegro já prepara a logística para a viagem.

O planejamento é de viajar na terça-feira, dois dias antes. Como não há como simular a altitude no Brasil, os jogadores precisarão sentir o campo e o ar rarefeito para saberem como atuar. Em 2017, na fase de grupos da Liberta, o Santos empatou com o The Strongest, na Bolívia, em circunstâncias parecidas.

?Já temos que pensar. É um campeonato importantíssimo, uma das metas no ano. Vamos na terça-feira, dois dias antes. Comissão técnica está planejando. Estamos vendo de ficar em Cuzco ou em Lima. É difícil, mas se bem planejado como no ano passado, na Bolívia, podemos conseguir um bom resultado. Será difícil, mas estaremos preparados. Temos que estudar adversário, que conhecemos pouco. Temos que começar bem a Libertadores, disse Vanderlei, em evento para anunciar parceria com a Poker, empresa de fornecimento de luvas.

Vanderlei afirma que muitos desdenham das dificuldades de jogar na altitude. Contra o The Strongest, o experiente Ricardo Oliveira não se sentiu bem já no aquecimento.

?Sempre falo que quem não foi, acha que é exagero. Que não é tudo isso. Só quem vive isso sabe. Aquecimento é difícil, falta ar. Ricardo Oliveira sentiu no aquecimento, que não quer voltar tão cedo. É difícil, mas é assim. Será difícil sempre. Pode ser campo ou outras situações. Futebol sul-americano tem inúmeras adversários. Temos todo um pessoal para cuidar disso?, explicou.

Para o goleiro, então, a situação é ainda pior por causa das variações da bola, que costuma chegar de forma mais rápida ao gol. E só no aquecimento é possível saber como se portar.

?Muda muito (na altitude) por causa da velocidade da bola. Brincava com o Vladimir que quando o Arzul (preparador de goleiros) chutava (na Bolívia), a gente pensava e a bola já tinha passado. Temos que nos adaptar rápido. Nos poupar ao máximo e conseguir um bom resultado?, concluiu.

Antes de estrear na Libertadores, porém, o Santos vai enfrentar o Santo André no domingo, às 19h30 (de Brasília), na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Paulista.

Gazeta Esportiva

TAGS