Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Palmeiras garante que respeitará as decisões das autoridades quanto à presença de público

Mesmo sem presença de torcedores liberada nos jogos de futebol em São Paulo, Verdão mantém jogo contra Atlético-MG, pela Libertadores, no Allianz Parque: "Forma coerente"
15:12 | Ago. 19, 2021
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Tipo Notícia

O Palmeiras se pronunciou nesta quinta-feira a respeito da polêmica envolvendo a presença de torcedores nos estádios na Libertadores. De acordo com breve comunicado publicado no perfil oficial do clube e assinado pelo presidente Maurício Galiotte, o Verdão seguirá as decisões das autoridades quanto ao assunto.

"Jogaremos a partida de ida da semifinal da Libertadores no Allianz Parque, que é a nossa casa. O Palmeiras, de forma coerente, continuará a respeitar as decisões dos órgãos competentes. A presença ou não de público será determinada pelas regras das autoridades", publicou o clube.

A manifestação do Palmeiras ocorre um dia após a partida entre Atlético-MG e River Plate, disputada no Mineirão. 17 mil torcedores do Galo assistiram ao jogo presencialmente, após o Governo do Estado de Minas Gerais autorizar a ocupação parcial do estádio.

Palmeiras e Atlético-MG se enfrentarão pela semifinal da Libertadores e, até o momento, o Governo do Estado de São Paulo ainda não autorizou o retorno de torcedores aos estádios durante a pandemia. Dessa forma, existe a possibilidade do Galo enfrentar o Verdão com o apoio de sua torcida, com o Alviverde recebendo os mineiros no Allianz Parque com portões fechados.

Como o Atlético-MG tem uma melhor campanha na Libertadores, terá o direito de decidir a vaga em casa. A Conmebol ainda não definiu as datas e os horários das partidas, porém os confrontos acontecerão nas semanas dos dias 22 e 29 de setembro.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

CPI: Renan deve apresentar relatório na segunda quinzena de setembro

Saúde
15:04 | Ago. 19, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Na reta final dos trabalhos, o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia do Senado, Renan Calheiros (MDB-AL), disse hoje (19) que pretende apresentar o parecer sobre as investigações do colegiado na segunda quinzena de setembro.

O senador descartou a possibilidade de pedir que o inquérito continue em outras instituições investigativas após o término dos trabalhos da CPI. Segundo o relator, seu parecer será conclusivo.

Diante de questionamentos do senador governista Marcos Rogério (DEM- RO), Renan adiantou como pretende conduzir o texto. “O meu relatório não vai mandar para procuradoria investigar nada. Ele vai concluir a partir das investigações realizadas aqui e pedindo para que, no prazo que a lei das comissões parlamentares de inquérito reserva, a Procuradoria-Geral da República mande processar, e não investigar novamente. Não é esse o meu estilo, o meu propósito”, destacou Calheiros.

O senador alagoano acrescentou ainda que, no parecer, vai responsabilizar por crime comum os integrantes de um suposto gabinete paralelo, que teria aconselhado o governo federal na tomada de decisões durante a pandemia. “Pretendo, como relator, posso não aprovar nesta CPI, responsabilizar por crime comum todos os membros do gabinete paralelo, pela maldade que fizeram contra o Brasil ao prescrever remédios ineficazes, ao estabelecer prioridades para gasto orçamentário, para execução de gasto público criminosamente”, completou.

O parlamentar rebateu acusações de Marcos Rogério de que estaria antecipando trechos do relatório final à imprensa. Renan garantiu que nem o parecer nem um esboço do documento estão prontos. Segundo ele, a única informação que deu à imprensa sobre o parecer é o prazo previsto para entrega.

Requerimentos

Ainda na primeira parte da reunião de hoje, a CPI aprovou 187 requerimentos, propostos por Renan Calheiros, 120 deles de quebra dos sigilos fiscais. Na lista, estão o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), e o advogado Frederick Wassef, que já defendeu o presidente da República e outros membros da família Bolsonaro. Ao justificar os pedidos, Renan disse que Wassef e Barros ”possuem registros de passagens de recursos e/ou relacionamentos comerciais com origem ou destino na empresa Precisa — Comercialização de Medicamentos LTDA., seus sócios, familiares destes e outros investigados por esta CPI”.

Junto com o pedido de quebra do sigilo fiscal de Barros e Wassef, o relator deu prazo de 48 horas para que Receita Federal envie à comissão a relação de empresas de que o deputado e o advogado participam ou tenham participado nos últimos cinco anos.

Outro grupo que entrou na lista de quebra de sigilo fiscal e financeiro é o de responsáveis por sites investigados por divulgação de notícias falsas durante a pandemia. A solicitação é que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) transfira dados sobre pessoas ligadas por sites como Instituto Força Brasil, Renova Mídia, Terça Livre, Jornal da Cidade Online, Conexão Política, Crítica Nacional, Senso Incomum, além de uma série de perfis em redes sociais.

Também foram aprovados pelo colegiado requerimentos para a convocação dos diretores do FIB Bank Garantias. A instituição despertou interesse da CPI a partir do depoimento de ontem do advogado da Precisa Medicamentos, Túlio Silveira. Como intermediadora do contrato para aquisição da vacina indiana Covaxin com o Ministério da Saúde, a Precisa usou o banco para oferecer uma “carta de fiança” à pasta. A ideia da CPI é ouvir os diretores da instituição, Roberto Pereira Ramos Júnior e Luiz Henrique Lourenço Formiga, para esclarecer possíveis irregularidades no processo.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

"Está na hora de concluir a CPI", afirma presidente da comissão Omar Aziz

CPI COVID
14:10 | Ago. 19, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O presidente da CPI da Covid no senado, senador Omar Aziz, declarou nesta quinta-feira, 19, que os trabalhos da comissão devem ser concluídos “o mais rápido possível”. O pronunciamento aconteceu após  o silência no depoimento do dono da Precisa Medicamentos, Francisco Maximiano. Com prazo prorrogado, a comissão quer apresentar o relatório final e encerrar os trabalhos em setembro. 

LEIA MAIS l Assista: CPI da Covid abre sessão para ouvir dono da Precisa Medicamentos

“Sou da opinião de que tem que se concluir a CPI o mais rápido possível. Isso não é um espetáculo, precisamos de uma conclusão para que as providências sejam tomadas. O relatório final, normalmente, é apresentado 24 horas antes do fim da CPI.”, declarou o senador.

O presidente destacou ainda que “nesta Comissão, foi sugerido que se apresentasse 48 horas antes, para que seja debatido de forma técnica e plural. Faremos justiça aos mais de 572 mil óbitos no País”.

O entendimento dos senadores é que a investigação iniciada no final de abril já avançou na apuração sobre possíveis crimes cometidos pelo governo federal na condução da pandemia. Os senadores pretendem também acelerar o encerramento para não perder o "timing" e aproveitar a atenção atraída pela CPI.

O temor é perder relevância se a comissão prosseguir até 5 de novembro, data limite para operar, segundo autorização do Senado. Apesar da pressa do presidente em concluir os trabalhos, a CPI aprovou a convocação de mais depoentes.

Serão convocados Roberto Pereira Ramos Junior, presidente do Fib Bank, Luiz Henrique Lourenço Formiga, diretor do mesmo banco, o lobista Marconny Nunes Ribeiro Albernaz de Faria, Jaime José Tomaselli, executivo da World Brands, Emanuel Catori, sócio da Belcher Farmacêutica e José Ricardo Santana.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Com dois jogos seguidos como visitante, Fortaleza ficará uma semana fora da Capital

Longe de casa
13:39 | Ago. 19, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A caminho de Porto Alegre no início da tarde desta quinta-feira, 19, o Fortaleza passará uma semana longe da capital cearense. Com dois jogos em sequência como visitante, pelo Campeonato Brasileiro e pela Copa do Brasil, o clube do Pici organizou a logística para emendar as viagens e tentar minimizar o desgaste físico.

O primeiro compromisso será diante do Juventude-RS, no próximo sábado, 21, a partir das 21 horas, no estádio Alfredo Jaconi, pela 17ª rodada da Série A. A delegação tricolor segue primeiro para Porto Alegre, de avião, e na sexta-feira, 20, viaja de ônibus para Caxias do Sul, local do confronto.

Após o duelo em solo gaúcho, o Leão embarca para São Paulo. A capital paulista será palco do embate de ida das quartas de final da Copa do Brasil, diante do São Paulo, na próxima quarta-feira, 25, às 21h30min, no Morumbi. O retorno a Fortaleza será no dia seguinte, quinta-feira, 26 - exatamente uma semana depois.

Com a rodada dupla fora de casa, o clube solicitou à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a mudança de data da partida contra o Cuiabá-MT, pela 18ª rodada do Brasileirão. Para facilitar a logística e dar maior período de recuperação física aos atletas, o confronto foi remarcado do dia 28 para o dia 30, às 21h30min, no Castelão.

O técnico Juan Pablo Vojvoda já tem desfalque certos para os confrontos. Suspenso, o ala direito Yago Pikachu não poderá encarar o Juventude-RS. Já o zagueiro Marcelo Benevenuto não pode atuar na Copa do Brasil por já ter entrado em campo pelo Botafogo-RJ na atual edição.

Mesmo assim, de acordo com o repórter Miguel Júnior, da Rádio O POVO CBN, a dupla seguiu com a delegação. O defensor poderá enfrentar o time gaúcho, enquanto o camisa 22 estará à disposição contra o Tricolor do Morumbi.

Logística da semana do Fortaleza:

  • 19/08: Viagem para Porto Alegre
  • 20/08: Viagem para Caxias do Sul
  • 21/08: Jogo contra o Juventude/RS
  • 22/08: Viagem para São Paulo
  • 25/08: Jogo contra o São Paulo
  • 26/08: Retorno a Fortaleza

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Prefeito de Belo Horizonte critica quebra de protocolo em jogo no Mineirão: "Irresponsáveis"

Volta do público
13:38 | Ago. 19, 2021
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Atlético Mineiro venceu o River Plate por 3 a 0, na quarta-feira, no Mineirão. A partida, que garantiu classificação do Galo à semifinal da Libertadores, contou com o retorno dos torcedores ao estádio, que teve 30% de capacidade disponível.

Em entrevista ao Bom Dia Minas, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, desaprovou a conduta da torcida, que não cumpriu os protocolos sanitários. Houve aglomerações no entorno do estádio, antes do jogo, e torcedores sem máscara.

O ex-presidente do Galo destacou que a presença de público “foi um acerto entre o Mineirão e o Atlético”. “Primeiro, quero deixar claro que foi bom o resultado, todo mundo sabe que eu nunca escondi o meu coração atleticano para ninguém. Mas, quando vi aquela cena no Minerão, desesperei. Ontem mesmo entrei em contato com o secretário de saúde [Jackson Machado]”, comentou.

O jogo entre Cruzeiro e Confiança pela Série B, na sexta-feira, também contará com torcedores nas arquibancadas. O prefeito afirmou que conversará com o clube para que o protocolo não seja novamente descumprido.

Kalil disse que a aglomeração de quarta-feira “não foi o combinado” e que, por conta disso, irá repensar a possibilidade de os torcedores irem ao estádio na capital mineira.

“A gente tenta ajudar. Não passou no teste, não vai acontecer de novo, se for nesse molde. Podemos aprimorar, apurar. Mas o que me entristeceu foram aquelas cenas horrorosas, irresponsáveis, que o prefeito faz parte da irresponsabilidade, porque o prefeito, burro que é, aceitou que eles iam cumprir o compromisso que tinham com a prefeitura”, pontuou.

“Estão enganados os que acham que ‘ah, é o Atlético, ele não vai fazer’. Não vai fazer, uma ova. Fizeram um desaforo e um desrespeito ao prefeito de Belo Horizonte”, completou.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Gabigol chega a 22 gols e entra no top 5 de artilheiros brasileiros na Libertadores

Bola na rede
13:02 | Ago. 19, 2021
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Flamengo deu um show na última quarta-feira ao vencer o Olímpia por 5 a 1 e contou com dois gols de Gabigol. O jogo válido pelas quartas de final da Libertadores teve o placar agregado de 9 a 2 e o Rubro-Negro engatou para a semifinal da competição.

Contando os jogos de ida e volta, Gabigol anotou quatro gols. Só nesta temporada, ele é o artilheiro com dez tentos marcados e já soma 22 na história do torneio. O camisa 9 do Flamengo está no top 5 de artilheiros brasileiros da Libertadores, com a mesma quantidade que Célio. Fred soma 24, Palhinha tem 25 e Luizão, 29.

Na próxima etapa, a equipe carioca espera o vencedor de Fluminense e Barcelona de Guayaquil. No primeiro jogo, os times empataram em 2 a 2, no Maracanã. Nesta quarta-feira, no Equador, às 21h30 (de Brasília), a partida de volta determina o adversário do Flamengo.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags