PUBLICIDADE
Esportes

Mattos atribui pouco uso da base do Palmeiras à comissão técnica

O sucesso alcançado pelo Palmeiras nas categorias de base ao longo das duas últimas temporadas ainda não propiciou o aproveitamento dos jovens pela equipe principal. O cenário é consequência das convicções da comissão técnica chefiada por Luiz Felipe Scolari, assegura o diretor de futebol Alexandre Mattos. ?A avaliação é técnica. Quem avalia se o jogador [?]

08:15 | 07/01/2019

O sucesso alcançado pelo Palmeiras nas categorias de base ao longo das duas últimas temporadas ainda não propiciou o aproveitamento dos jovens pela equipe principal. O cenário é consequência das convicções da comissão técnica chefiada por Luiz Felipe Scolari, assegura o diretor de futebol Alexandre Mattos.

?A avaliação é técnica. Quem avalia se o jogador tem condição e maturidade para atuar (na equipe profissional) é a comissão. Ninguém melhor do que eles, que estão no dia a dia, para dizer se o atleta A, B ou C da base está pronto para jogar?, justificou Mattos.

O diretor de futebol já apresentou o volante Matheus Fernandes (Botafogo), o meia Zé Rafael (Bahia) e os atacantes Arthur Cabral (Ceará), Carlos Eduardo (Pyramids) e Felipe Pires (Hoffenheim). Antes das negociações, segundo Mattos, os jovens criados no Palmeiras foram analisados.

?Quando o Palmeiras vai contratar, observa o mercado, mas também observa a base. Se, na avaliação da comissão técnica, a base supre, o clube não traz?, disse. ?Quem avalia se o jogador que foi contratado é melhor do que aquele que está aqui é a comissão técnica e eles têm nossa confiança?, acrescentou.

Ao falar sobre o eventual aproveitamento dos atletas da base, Mattos citou como exemplo Yan, um dos destaques entre os jovens em 2018. De acordo com o diretor de futebol, o atacante de 20 anos, promovido ao elenco principal, ainda precisa de um processo de fortalecimento para atuar.

?Até o momento, o Yan não tem a estrutura física necessária. No ano passado, quando estávamos com uma dificuldade de jogador de velocidade, ele foi promovido ao profissional e sofreu uma lesão atrás da outra. Muitas vezes, dizem que tal menino joga demais. Sim, mas está jogando na base?, ponderou Mattos.

Com um elenco numeroso e qualificado, o Palmeiras tem emprestado alguns dos atletas formados na base para oferecer rodagem ? o atacante Artur, por exemplo, ficará no Bahia até dezembro de 2019. O clube deseja fazer o mesmo com o zagueiro Pedrão e com o meia Vitinho e também deve ceder o centroavante Papagaio.

Gazeta Esportiva

TAGS