Presidente da FPF admite relação mais fria com Palmeiras, mas nega rompimentoSociedade Esportiva Palmeiras | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Presidente da FPF admite relação mais fria com Palmeiras, mas nega rompimento

A relação entre Palmeiras e Federação Paulista de Futebol (FPF) vem conturbada desde maio, após a final do Campeonato Estadual contra o Corinthians, quando o Verdão alegou ter havido interferência externa no duelo. Na época, o presidente Maurício Galiotte afirmou ter rompido relações com a federação, o que foi negado pelo presidente da instituição, Reinaldo [?]

17:45 | 30/08/2018

A relação entre Palmeiras e Federação Paulista de Futebol (FPF) vem conturbada desde maio, após a final do Campeonato Estadual contra o Corinthians, quando o Verdão alegou ter havido interferência externa no duelo. Na época, o presidente Maurício Galiotte afirmou ter rompido relações com a federação, o que foi negado pelo presidente da instituição, Reinaldo Carneiro Bastos, eleito nesta quinta-feira.

?A federação não rompeu com o Palmeiras. A federação está de portas abertas para a Sociedade Esportiva Palmeiras, para sua diretoria e para o seu presidente. Acho possível (uma reconciliação), porque não entendo como rompido?, explicou o dirigente em entrevista após a realização da votação em Assembleia Geral Ordinária, a qual foi boicotada pelo Palmeiras.

?Entendo como uma ausência, como tiveram outras. E a gente respeita isso. Continuamos com a mesma relação com o Palmeiras que tivemos. Não temos uma relação pessoal próxima como era antes, mas institucionalmente continua funcionando. E vai ser assim sempre?, completou.

Durante toda a sua fala, Carneiro fez questão de reiterar o respeito pela decisão de todos os clubes, inclusive a do Palmeiras. ?Respeito muito a decisão do Palmeiras. É uma forma democrática. A gente tem lutado aqui por transparência e por respeitar as opiniões a favor e as contrárias. A FPF respeita que cada filiado se sinta no direito de defender seus interesses. Ele (Galiotte) está no momento dele, defendendo a Sociedade Esportiva Palmeiras, da qual ele entende. E eu respeito?, pontuou o presidente, que concluiu:

?A gente está disposto a tudo. Não há nenhuma hipótese de não falar com o Maurício (Galiotte), de questionar a posição dele. Minha relação com ele esfriou depois do ocorrido e isso é natural. Mas não nos tornamos inimigos e continuo tendo respeito por ele?.

*Especial para a Gazeta Esportiva

Gazeta Esportiva