Com Felipão, Palmeiras muda métodos de treinamentoSociedade Esportiva Palmeiras | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Com Felipão, Palmeiras muda métodos de treinamento

Felipão comandou apenas um treino do Palmeiras na Academia de Futebol, mas já foi o suficiente para notar uma alteração no sistema de trabalho da equipe. Em comparação ao que ocorria com Roger Machado, as atividades dirigidas por Scolari são muito mais ?práticas?. Com o ex-comandante palestrino, a maioria dos treinos eram conceituais. Nos exercícios, [?]

08:15 | 07/08/2018

Felipão comandou apenas um treino do Palmeiras na Academia de Futebol, mas já foi o suficiente para notar uma alteração no sistema de trabalho da equipe. Em comparação ao que ocorria com Roger Machado, as atividades dirigidas por Scolari são muito mais ?práticas?.

Com o ex-comandante palestrino, a maioria dos treinos eram conceituais. Nos exercícios, Roger Machado organizava os atletas de acordo com suas propostas de jogo em suas diferentes fases.

Um dos casos mais marcantes de e que exemplifica o pensamento de Roger para montar suas atividades aconteceu ainda na pré-temporada. ?Na briga do urso com o jacaré, quem ganha??, perguntou o técnico do Palmeiras aos seus comandados. ?Na água, eu aposto no jacaré. Fora, no urso?.

A metáfora chamou a atenção dos jornalistas, e, após a atividade, Roger explicou: ?A não ser que o zagueiro seja muito preciso ou tenha uma boa cobertura, a tendência em disputas com atacantes de velocidade é ele levar a pior e deixar a defesa desprotegida?. A orientação era para que os zagueiros não avançassem com a bola durante o exercício, mas mantivessem seu posicionamento ao tocar para os companheiros.

No treinamento de Felipão, os conceitos são específicos e aproximam o jogador das situações reais das partidas. Na atividade de segunda-feira, com Paulo Turra dando a maior parte das instruções, os palmeirenses fizeram exercícios de dois contra dois, e, na sequência, quatro contra quatro, tudo com o intuito de simular a necessidade de abrir espaços no ataque.

Em separado, Deyverson chegou inclusive a praticar jogadas de pivô com a marcação do argentino Nicolás Freire. Nelas, o centroavante apenas protegia com o corpo e devolvia o passe para o auxiliar Carlos Pracidelli, algo inimaginável com Roger Machado.

Tentando aplicar os conceitos de Felipão, o Maior Campeão do Brasil encara o Cerro Porteño nesta quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Paraguai. A equipe viaja para o país na tarde desta terça-feira.

Gazeta Esportiva

TAGS