PUBLICIDADE
Esportes

Weverton revela aprendizado com Prass e Jailson para esperar sua chance

Weverton chegou ao Palmeiras com a expectativa de ser um dos goleiros chamados por Tite para integrar a Seleção Brasileira que disputou a Copa do Mundo da Rússia. O arqueiro foi campeão olímpico no Rio-2016, mas iniciou a temporada como terceira opção de Roger Machado no Alviverde, atrás de Jailson e Fernando Prass, o que [?]

16:15 | 24/07/2018

Weverton chegou ao Palmeiras com a expectativa de ser um dos goleiros chamados por Tite para integrar a Seleção Brasileira que disputou a Copa do Mundo da Rússia. O arqueiro foi campeão olímpico no Rio-2016, mas iniciou a temporada como terceira opção de Roger Machado no Alviverde, atrás de Jailson e Fernando Prass, o que lhe tirou as chances de disputar o Mundial.

Ironicamente, logo após a Copa, Weverton se tornou titular do gol palestrino. Titular nos três amistosos pela América Central, o arqueiro conquistou sua vaga graças à suspensão de Jailson no primeiro jogo após o torneio intercontinental, diante do Santos, e uma lesão de Fernando Prass. Agora à frente de ambos, o goleiro revela aprendizados com os companheiros.

?Sendo bem sincero, tudo o que eu conquistei antes de chegar só tinha me credenciado até chegar ao Palmeiras. Quando pisei aqui dentro era só mais um. Não fiz história nenhuma para achar que seria dono da posição ou que ia chegar tomando lugar de todo mundo. Eu tinha de lutar muito para conquistar meu espaço, ainda mais com Jailson e Prass?.

?São grandes pessoas e profissionais (Prass e Jailson). Eles não chegaram como unanimidades e conquistaram espaço. Foi um espelho para eu ter paciência e humildade de esperar. Queria jogar para o Tite me ver para ir para Seleção, mas não podia deixar de lado a humildade de reconhecer os dois caras e respeitar a opinião do Roger?, disse o camisa 21.

O duelo contra o Tricolor será o terceiro jogo consecutivo de Weverton como titular e o sétimo ao longo da temporada. No entanto, apenas no último, diante do Atlético-MG, no Allianz Parque, o arqueiro teve a preferência de Roger Machado confirmada, deixando Jailson e Fernando Prass no banco de reservas. Nos demais, ao menos um dos outros dois arqueiros estava indisponível.

?Uma coisa é jogar e saber que vai voltar para o banco, outra é jogar sabendo que vai ter sequência. Às vezes que eu joguei tinha poupado o Jailson. Hoje sei que vou ter uma sequência, muda tudo. Você vai com toda disposição, sabendo que agora é teu momento e as coisas têm de dar certo. Quando está 100% envolvido é diferente?, completou.

Gazeta Esportiva

TAGS