PUBLICIDADE
Esportes

Paz, sintonia com a torcida e ?carreiras marcadas?: frutos do Choque-Rei

Um clássico nunca é um jogo qualquer, mas o Choque-Rei do último sábado significou ainda mais para o Palmeiras. O duelo contra o São Paulo marcou a carreira de jogadores experientes e, vindo de três partidas consecutivas sem vitórias, o Verdão inicia a semana em sintonia com sua torcida e com mais paz para Roger [?]

08:15 | 04/06/2018

Um clássico nunca é um jogo qualquer, mas o Choque-Rei do último sábado significou ainda mais para o Palmeiras. O duelo contra o São Paulo marcou a carreira de jogadores experientes e, vindo de três partidas consecutivas sem vitórias, o Verdão inicia a semana em sintonia com sua torcida e com mais paz para Roger Machado trabalhar.

Apesar das muitas consequências positivas, o início do Choque-Rei não foi. O Palestra não fez um bom primeiro tempo no Allianz Parque e o zagueiro Edu Dracena, que nunca fez com a camisa alviverde, anotou contra o tento dos visitantes. Sua recuperação e a reação da equipe na etapa final, porém, marcaram o experiente defensor.

?Só tenho que agradecer a todos eles, não só por esse jogo. O que passamos no dia a dia, as dificuldades, as alegrias, as tristezas, tudo isso se junta e dá essa sensação (de emoção). O último jogo que eu me emocionei foi o do título brasileiro (de 2016) contra a Chapecoense, e hoje eu me emocionei muito. Esse jogo ficará marcado na minha carreira e eu só tenho a agradecer aos meus companheiros, minha família e a Deus?, disse o zagueiro.

Apesar de sair atrás no placar, o Alviverde entrou em campo já em vantagem, ao menos emocional. O apoio da torcida começou bem antes de a bola rolar no Allianz Parque. Fora da Arena, palmeirenses gritavam cantos de incentivo uma hora antes do jogo e, ainda no aquecimento dos atletas, os gritos nas arquibancadas ecoaram mesmo cobertos pelo enorme bandeirão.

?Jogamos não só pela paz do Roger, mas do time todo. Pela nossa aproximação com a torcida também e eles foram fundamentais para nos dar força. Foi incrível a força que nos deram, mesmo perdendo ele estão pararam de gritar?, afirmou o volante Bruno Henrique.

Depois do clássico, Roger Machado afirmou que não se sentia pressionado no cargo, mas a reação dos atletas durante o jogo diz o contrário. Depois de um péssimo primeiro tempo e atrás no placar, Willian e Dudu marcaram no segundo tempo e celebraram com abraços no comandante. Após o duelo, Bruno Henrique também teceu elogios ao comandante.

?O Roger é um cara sensacional e que vem fazendo um grande trabalho com a gente, claro que se a vitória não vem, começa uma desconfiança da imprensa da torcida, o que é normal porque o Palmeiras é um time muito grande. Estamos trabalhando para corresponder o que o Roger pede porque ele é um cara sensacional, está fazendo um grande trabalho. Tenho certeza que, se Deus quiser, vamos vencer esse ano aqui com ele?, finalizou.

Após a folga de domingo, o Palmeiras retoma os treinamentos na tarde desta segunda-feira, na Academia de Futebol. O Verdão volta a campo na quarta-feira, em duelo contra o Grêmio, às 21h45 (de Brasília), no Sul.

Gazeta Esportiva

TAGS