PUBLICIDADE
Esportes

Galiotte vê Cuca na história e diz que técnico deu 1º passo por saída

O presidente palmeirense Maurício Galiotte tratou de elogiar Cuca logo na primeira resposta da entrevista que concedeu na manhã deste sábado, um dia depois da saída do treinador. O dirigente ainda contou que o primeiro passo para encerrar o ciclo de trabalho foi dado pelo estafe do próprio técnico. A despeito de conquistar a edição [?]

13:45 | 14/10/2017

O presidente palmeirense Maurício Galiotte tratou de elogiar Cuca logo na primeira resposta da entrevista que concedeu na manhã deste sábado, um dia depois da saída do treinador. O dirigente ainda contou que o primeiro passo para encerrar o ciclo de trabalho foi dado pelo estafe do próprio técnico.

A despeito de conquistar a edição de 2016 do Campeonato Brasileiro, Cuca decidiu deixar o Palmeiras no final do ano passado para resolver problemas pessoais. No último mês de maio, acabou recontratado para substituir Eduardo Baptista com vínculo até o final de 2018, encerrado de maneira precoce.

?Quero agradecer ao Cuca pela conquista do Campeonato Brasileiro de 2016. Ele tem o nome marcado na nossa história. Quero sempre ressaltar a importância do Cuca para a Sociedade Esportiva Palmeiras. Nesse ano, não tivemos o mesmo desempenho. Até o momento, não tínhamos a evolução que esperávamos?, justificou Galiotte.

Na noite de quinta-feira, com um gol sofrido aos 43 minutos do segundo tempo, o Palmeiras empatou por 2 a 2 com o Bahia, pelo Campeonato Brasileiro. Após a partida disputada no Estádio do Pacaembu, a diretoria palmeirense foi contatada pelo estafe do técnico para tratar da saída.

?Um representante do Cuca nos procurou, dizendo que ele estava desgastado e muito próximo do seu limite. Conversamos um pouco sobre isso e, no nosso entendimento, a situação era muito parecida. Então, em comum acordo, decidimos pelo encerramento do ciclo, sempre respeitando o atleta que foi e o treinador que é?, disse Galiotte.

Sob o comando de Cuca, sem nem sequer brigar pelas primeiras colocações do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras acabou eliminado nas quartas de final da Copa do Brasil e nas oitavas da Libertadores. Além da performance decepcionante, uma questão de ordem familiar levou ao encerramento da segunda passagem do técnico pelo Palmeiras.

?O fator principal de desgaste é quando os resultados não vêm. Em um time grande, com investimento e totais condições, há muita pressão. Tem ainda uma posição que o representante dele nos passou sobre uma situação familiar importante. Isso também potencializou para que tivéssemos essa conversa?, explicou Galiotte.

Gazeta Esportiva

TAGS