PUBLICIDADE
Esportes

De volta, Arouca diz que sentiu como se estivesse estreando na carreira

A dois dias de completar nove meses sem entrar em campo para uma partida oficial, Arouca, enfim, voltou a defender o Palmeiras na noite dessa quinta-feira, no Pacaembu. Aos 39 minutos do segundo tempo, Alberto Valentim colocou o camisa 5 no lugar de Tchê Tchê. Foram poucos minutos, mas a vitória por 2 a 0 [?]

21:45 | 19/10/2017

A dois dias de completar nove meses sem entrar em campo para uma partida oficial, Arouca, enfim, voltou a defender o Palmeiras na noite dessa quinta-feira, no Pacaembu. Aos 39 minutos do segundo tempo, Alberto Valentim colocou o camisa 5 no lugar de Tchê Tchê. Foram poucos minutos, mas a vitória por 2 a 0 em cima da Ponte Preta e a sensação de jogador futebol profissionalmente de novo mexeram com o volante, que passou por duas cirurgias no tornozelo esquerdo nessa temporada.

?Passa tudo (na cabeça), foi muito tempo sem jogar, sem poder treinar. Desde quando me recuperei da segunda cirurgia venho me empenhando ao máximo, em dois períodos, para poder voltar. Agradeço ao Valentim e espero dar sequência?, comentou, ao Premiere, lembrando que sequer estava relacionado para o confronto com a Macaca.

?Foi uma surpresa para mim também, porque já tinha saído a relação (de jogadores relacionados), ontem treinei com todo mundo, o Michel (Bastos) acabou sentindo? Fiquei muito feliz, foi como uma estreia pelo profissional?, afirmou.

Aos 31 anos, Arouca passou por uma situação inédita na carreira. Conhecido por sua vitalidade e disposição em todas as equipes por onde passou, o jogador admitiu que teve muita dificuldade de absorver esse momento novo, principalmente na questão psicológica.

?Nossa, você não tem noção do que eu passei esse ano. Duas cirurgias no tornozelo, fiquei muito tempo fora, nuca tinha acontecido isso na minha carreira, pior coisa que aconteceu na minha carreira profissional. Não foi culpa minha, na primeira cirurgia fizemos um procedimento mais simples, acabei voltando antes, mas as dores voltaram. A segunda cirurgia já foi mais agressiva, acabou demorando seis meses (a recuperação). Agradecer a Deus e a minha esposa, que me aturou esse tempo em casa, chateado, sem querer sair?, explicou Arouca, aliviado.

Lesão de Willian

Se por um lado o torcedor alviverde ficou feliz de ver Arouca de volta ao time, o clima foi de apreensão quando Willian pediu substituição ainda aos 38 minutos do primeiro tempo. Borja entrou em seu lugar e acabou marcando o segundo gol palmeirense no jogo.

?Senti uma contratura, a princípio. Não chegou a fisgar, deu só uma embolada. Vamos fazer os exames para ter certeza?, comentou o atacante, após o fim do jogo.

Nessa quinta, Willian jogou um pouco mais aberto, diferente de como vinha sendo utilizado por Cuca, para que Keno pudesse ser o ponta da equipe ao lado de Dudu.

?Acho que ele (Valentim) tem a forma dele de analisar, de montar a equipe e eu já tinha jogado tanto pela beirada quanto por dentro. Me senti bem, não tem novidade?, minimizou.

 

Gazeta Esportiva

TAGS