PUBLICIDADE
Sport Club Internacional

Odair elogia desempenho de Nico López e diz que Inter mais confiante

Apesar da boa campanha no Campeonato Brasileiro, o técnico Odair Hellmann prefere “manter os pés no chão” e afirmou que o Internacional não conquistou nada neste momento. Ele reconheceu que a invencibilidade de oito partidas na competição fez o time recuperar a auto-estima. “Nesta primeira fase, precisávamos resgatar a confiança de todos e resgatamos muito […]

12:45 | 14/06/2018

Apesar da boa campanha no Campeonato Brasileiro, o técnico Odair Hellmann prefere “manter os pés no chão” e afirmou que o Internacional não conquistou nada neste momento. Ele reconheceu que a invencibilidade de oito partidas na competição fez o time recuperar a auto-estima. “Nesta primeira fase, precisávamos resgatar a confiança de todos e resgatamos muito bem”, destacou.

Com a sequência de bons resultados aumentou a responsabilidade do time após o término do Mundial da Rússia. “Precisamos retornar contra o Atlético-PR no mínimo, no mínimo da mesma maneira. Foi só um terço do campeonato, tem mais dois terços. Temos que estar conscientes, que até agora o que fizemos foi bom, mas não nos leva a lugar nenhum”, analisou Odair.

Por fim, o treinador explicou o porque da opção por Nico López no começo da partida diante do Vasco que terminou com vitória Colorada por 3 a 1 no Beira-Rio. O uruguaio fez um dos gols do Inter que deixou o time entre os quatros primeiros do Brasileirão na pausa para a Copa do Mundo.

“Contra Corinthians e Sport , eles baixaram a linha de marcação. E daí precisa circulação rápida e alguém que faça essa infiltração por dentro. Fizemos muito bem isso com Nico até que eles fecharam os espaços. Daí fiz a variação. Treinamos isso desde o início do ano, foi usado em muitos jogos, em segundo tempo, por abertura de time, resolvi começar assim, nem com tripé, nem com meia. Iniciar assim foi um reflexo da segurança passada pelo time. Contra o Corinthians, abrimos essa variação e crescemos na partida assim. Hoje iríamos precisar abrir o Vasco, não quis esperar. Estudamos bem o Vasco e o Nico foi muito bem por dentro”, explicou.

Gazeta Esportiva

Recomendadas para você

Comentários