Participamos do

Fortaleza é derrotado por 2 a 0 para o River Plate pela Copa Libertadores

O Tricolor do Pici encarou o clube argentino na noite desta quarta-feira, 13, no Estádio Monumental de Nuñez, pela segunda rodada do torneio continental
22:57 | Abr. 13, 2022
Autor Mateus Moura
Foto do autor
Mateus Moura Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em noite histórica, o Fortaleza foi derrotado por 2 a 0 para o River Plate, no Estádio Monumental de Nuñez, pela segunda rodada da Copa Libertadores. Apesar de criar boas situações de gol ao longo da partida, o Tricolor do Pici pecou pelos erros defensivos, que foram bem explorados pelo clube argentino. Com o resultado, os comandados de Vojvoda seguem sem pontuar no torneio e passam a ocupar a quarta colocação do Grupo F.

O próximo confronto do Fortaleza pelo torneio continental acontece somente no dia 27, diante do Alianza Lima-PER, às 19 horas, na Arena Castelão. Antes, o Tricolor do Pici encara o Internacional-RS pela segunda rodada do Brasileirão (17/4), o Vitória-BA pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil (20/4), e os dois confrontos contra o Caucaia (22/4 e 24/4), valendo o título do Campeonato Cearense.

Na outra partida do Grupo F, o Colo-Colo derrotou o Alianza Lima-PER por 2 a 1, no estádio Monumental David Arellano, em Santiago, Chile, e chegou aos seis pontos, assim como o River Plate.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O jogo

O Fortaleza iniciou o confronto com uma ideia tática bem definida: linhas baixas e compactas para atrair o River Plate, roubar a bola e sair em velocidade no contra-ataque com Moisés pelo lado esquerdo. A estratégia foi bem executada pelo Tricolor durante alguns recortes do primeiro tempo, criando, inclusive, duas ótimas oportunidades com menos de quatro minutos de jogo — em uma delas, o defensor do clube argentino interceptou a finalização de Renato Kayzer em cima da linha.

O River Plate, jogando diante da sua torcida e favorito no embate, naturalmente se portou como protagonista nos 45 minutos iniciais, mantendo a posse de bola ao seu favor (66% x 34%), trocando mais passes certos (272 x 114) e com vantagem no número de finalizações (11 x 5).

Apesar do começo promissor, o Fortaleza pecou, ao longo da primeira etapa, pela falta de capricho nas conclusões dos lances ofensivos — que existiram e foram bem claros — e por algumas falhas defensivas, principalmente em situações de rebote, onde a bola sempre sobrava, de forma limpa, para algum atleta do clube argentino na entrada da área, e também na saída de jogo, pelo qual o River conseguiu forçar diversos erros da equipe cearense através da marcação em linha alta.

E foi exatamente explorando essas fragilidades do Leão que o River conseguiu marcar dois gols. O primeiro aconteceu aos nove minutos, quando De La Cruz aproveitou falha na saída de bola de Yago Pikachu, desarmou o ala e cruzou na área para Álvarez. A zaga tricolor cortou a tentativa de passe, mas na sobra, Enzo Fernández, livre de marcação, finalizou sem chances de defesa. O segundo tento foi marcado aos 31 minutos, em um lance parecido: após cobrança de escanteio, o Fortaleza afastou, mas no rebote, De La Cruz bateu de primeira e marcou um belo gol.

Na volta do intervalo, o panorama da partida se manteve próximo do que as equipes apresentaram no primeiro tempo. O River Plate seguiu com um alto volume de jogo e, através de passes rápidos e triangulações, conseguiu infiltrar com certa facilidade dentro da área defendida pelo Fortaleza, que alternou entre tentativas de transições rápidas e construções através de passes mais lentos, mas em ambas foi pouco efetivo.

Em questão de produtividade, o segundo tempo do Fortaleza foi inferior ao desempenho da primeira etapa. Diferente dos 45 minutos iniciais, onde criou situações claras para balançar as redes, o sistema criativo do escrete vermelho-azul-e-branco não funcionou na segunda metade do confronto, mesmo com Vojvoda realizando algumas alterações, como as entradas de Silvio Romero, Romarinho e Depietri.

O River Plate, por outro lado, apresentou um maior equilíbrio e controlou a partida sem muitas dificuldades. No fim, o resultado construído pela equipe argentina no primeiro tempo manteve-se inalterado. Ao Fortaleza, embora a projeção fosse de um duelo muito complicado — cenário que se comprovou dentro de campo — , fica a sensação de que o time cearense poderia ter alcançado um resultado melhor, principalmente pelas ótimas chances criadas no primeiro tempo.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar
1