Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Copa do Brasil: Fortaleza vende mais de 11 mil ingressos virtuais para jogo da volta contra o CRB

Denominada "Invasão virtual à Maceió", a campanha lançada pelo Fortaleza na véspera do jogo consistia em vender bilhetes simbólicos ao valor unitário de R$ 5, em troca de sorteios de camisas oficiais
15:50 | Ago. 04, 2021
Autor - Brenno Rebouças
Foto do autor
- Brenno Rebouças Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O Fortaleza conseguiu vender mais de 11 mil ingressos simbólicos para o jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil contra o CRB, que acontece na tarde desta quarta-feira, 4, a partir das 16h30min. O público virtual daria para preencher metade da arquibancada do estádio Rei Pelé, local da partida.

Denominada “Invasão virtual à Maceió”, a campanha lançada pelo Fortaleza na véspera do jogo consistia em vender bilhetes simbólicos ao valor unitário de R$ 5 e a cada 500 ingressos adquiridos pela torcida, uma camisa oficial do clube, modelo Tradição, autografada, seria sorteada. Além disso, uma meta de venda de 10 mil ingressos foi lançada, o que valeria o sorteio de mais cinco camisas do modelo Les Bleus.

A uma hora da bola rolar para CRB e Fortaleza, o número de bilhetes simbólicos vendidos era de 11.011, o que significa uma arrecadação de cerca de R$ 55 mil, e já garantiu o sorteio de 27 camisas. O clube anunciou ainda que durante a partida a venda continuará acontecendo.

O estádio Rei Pelé, onde acontecerá o jogo de volta entre CRB e Fortaleza tem capacidade para 19.105 pessoas.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Escalação: como CRB e Fortaleza vão a campo pela Copa do Brasil

Times definidos
15:40 | Ago. 04, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Fortaleza e CRB-AL medem forças forças nesta quarta-feira, 4, às 16h30min, no estádio Rei Pelé, em Maceió, no jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Na partida de ida, o Tricolor venceu por 2 a 1 tem a vantagem do empate para avançar à próxima fase. Confira abaixo escalação confirmada de cada time:

ESCALAÇÕES

CRB-AL

4-4-2: Diogo Silva; Reginaldo, Gum, Caetano e Guilherme Romão; Marthã, Jean Patrick, Bressan e Diego Torres; Jajá e Nicolas Careca. Técnico: Allan Aal

Fortaleza

3-5-2: Marcelo Boeck; Tinga, Jackson e Titi; Yago Pikachu, Felipe, Ronald, Éderson e Lucas Crispim; David e Wellington Paulista. Técnico: Juan Pablo Vojvoda

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Jornalista cria um Fortaleza Esporte Clube na Hungria

14:14 | Ago. 04, 2021
Autor Demitri Túlio
Foto do autor
Demitri Túlio Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

 

 

O Fortaleza Esporte Clube ganhou um avatar na Hungria. Na quarta-feira, 28 de julho, o jornalista e torcedor Aron Aranyossy (@a11aron) criou um clube de futebol com o mesmo nome, as cores e a logomarca da equipe cearense. Em húngaro, o parente estrangeiro do Leão cearense foi batizado por “Eröd FC”. Em tradução livre, o mesmo que “fortificação, fortaleza ou força”, segundo explicou o fã do centro europeu em sua conta no Instagram.

Aron Aranyossy, 31, que é jornalista esportivo na Hungria, conta que passou a acompanhar o time do Pici em janeiro de 2020 quando pediu a seguidores no Twitter uma sugestão de nome para batizar um novo time de uma liga amadora em Budapeste.

Segundo o jornalista, um dos internautas era torcedor do Fortaleza e sugeriu o nome do Tricolor cearense. “Queria escolher um clube que pouco conheço. Durante anos joguei numa equipe amadora, mas estávamos insatisfeitos. Os jogadores sentiram que criar um clube para as nossas necessidades era a melhor”, disse ao Esportes O POVO.

Áron Aranyossy diz que ficou surpreendido com a reação acolhedora da torcida do Fortaleza(Foto: ACERVOPESSOAL)
Foto: ACERVOPESSOAL Áron Aranyossy diz que ficou surpreendido com a reação acolhedora da torcida do Fortaleza

Aron Aranyossy, também ator de teatro, apresentou a proposta para os amigos de futebol e eles “gostaram da ideia de se tornarem Erd FC. Sugeri também porque os torcedores do Fortaleza foram muito legais comigo. Algumas pessoas falaram que eu deveria ter escolhido um clube diferente para ter mais sucesso, mas parecia muito fácil escolher o Flamengo ou o São Paulo. Acho que tomei a decisão perfeita”.

O Fortaleza do Leste europeu já tem conta no Twitter, @Eröd_FC, mas nenhuma publicação por enquanto. O time irá disputar a Blasz IV, que é uma liga regional para times sediados em Budapeste. Uma espécie de 7ª divisão do campeonato nacional na Hungria, o “suburbão” da cidade onde nasceu o craque Ferenc Puskás. “É um hobby para nós, queremos nos divertir e ser uma força positiva nas ligas amadoras”, afirmou Aron Aranyossy.

O torcedor, e agora criador do Leão de Budapeste, antes de anunciar no Instagram a fundação do Fortaleza da Hungria entrou em contato com a diretoria do time cearense para saber se haveria algum impedimento. Não houve.

Aron Aranyossy, 31 anos, apaixonado por futebol, criador do Leão húngaro(Foto: Reprodução)
Foto: Reprodução Aron Aranyossy, 31 anos, apaixonado por futebol, criador do Leão húngaro

A assessoria de imprensa do Fortaleza e Renan Menezes, diretor de Licenciamento da marca da agremiação fundada em 1918, confirmaram ao Esportes O POVO que Aron Aranyossy se comunicou com time brasileiro. “Ele falou comigo algumas vezes, informalmente. O clube não viu problema (na fundação do Erd FC)”, informou Menezes.

No ano passado, por causa do início da pandemia da Covid-19 e com o confinamento do mundo, Aron passou a acompanhar os jogos do Fortaleza pela internet. Para ele, foi “estressante” assistir o quase rebaixamento do Leão para a Série B do Campenoto Brasileiro. No entanto, a experiência o fez se informar sobre o futebol na América do Sul e enxergar as diferenças de condução do time entre os técnicos Rogério Ceni, Enderson Moreira e Juan Pablo Vojvoda. Para o jornalista esportivo, Romarinho foi o melhor jogador em 2020 e Yago Pikachu é o destaque da temporada atual.

O intercâmbio por causa da língua universal do futebol, e das pontes digitais, fez o húngaro virar torcedor do Fortaleza. Tão assim, que o Leão de Budapeste importou até o grito de incentivo da torcida cearense. Lá o “bora leão” virou “Hajra Erd”. Coisa de quem é louco por futebol. (Colaborou @thierespinto)

 

 

Escudo do Fortaleza Esporte Clube(Foto: DIVULGAÇÃO)
Foto: DIVULGAÇÃO Escudo do Fortaleza Esporte Clube

As origens do Leão centenário

O nascimento do time do Fortaleza Esporte Clube tem ligações com a elite econômica cearense e suas incursões na Europa do início do século XX. O bem-nascido Alcides Santos, depois de estudar do College Stella, na Suíça, traz na bagagem a vontade de fundar uma agremiação futebolística.

Em 1915, Alcides Santos e outros burgueses cearenses apaixonados pelo futebol, criam o Stella Foot-Ball. Três anos mais tarde, em 18 de outubro de 1918, o time passa a se chamar Fortaleza Sporting Club e estampa as cores da bandeira da França em seu uniforme tricolor. O azul, o branco e o vermelho.

Em 2018, o Fortaleza foi o campeão da Série B do Brasileiro com duas rodadas de antecedência (Foto: Gustavo Simão/ Especial para O POVO)
Foto: Gustavo Simão/ Especial para O POVO Em 2018, o Fortaleza foi o campeão da Série B do Brasileiro com duas rodadas de antecedência

Em 2014, o Fortaleza fez mais uma homenagem à França ao lançar um uniforme semelhante ao da seleção francesa. Por isso, acabou sendo notícia no periódico esportivo L’Équipe que estampou a manchete “Fortaleza, c’est l’autre equipe de France”. Além disso, criou uma versão em francês para o hino do clube.

Hoje, o uniforme tricolor traz acima do escudo uma estrela dourada. Uma alusão a sua maior conquista nacional. Em 2018, sob o comando de Rogério Ceni, o time foi campeão da Série B do Campeonato Brasileiro. Antes, em 1960 e 1968, havia sido vice-campeão da Taça Brasil.

 

 

Ferenc Puskás Biró, o maior ídolo do futebol húngaro(Foto: REPRODUÇÃO)
Foto: REPRODUÇÃO Ferenc Puskás Biró, o maior ídolo do futebol húngaro

Puskás: quando o futebol era arte entre os húngaros

Apesar do Campeonato Húngaro ser uma competição marcada pela força física e aplicação tática, o país do leste europeu é conhecido no mundo da bola por causa do craque Ferenc Puskás Biró (1926-2008). O lendário atacante, que teria marcado 512 gols em 528 partidas, tinha dribles e passes curtos e secos. Além de uma canhota habilidosa.

Com Puskás, a seleção húngara viveu sua melhor fase. Foi campeã olímpica em 1952 e vice-campeã do mundo em 1954 quando perdeu para a reerguida Alemanha Ocidental no pós-Segunda Guerra Mundial.

Arena Puskás, na Hungria, receberá 30% do público para a Supercopa Uefa(Foto: ATTILA KISBENEDEK / AFP)
Foto: ATTILA KISBENEDEK / AFP Arena Puskás, na Hungria, receberá 30% do público para a Supercopa Uefa


Na época, o revés surpreendente do time de Puskas foi considerado a derrota do futebol-arte. Os habilidosos húngaros estavam invictos há quatro anos e 33 dias. Na primeira fase da competição, a Hungria havia massacrado os alemães por 8 a 3.

Puskás, que hoje dá nome ao prêmio do gol mais bonito do mundo pela Fifa, também jogou pela seleção espanhola na Copa do Mundo de 1962, no Chile. Quando o Brasil foi bicampeão.

 

 

Um torcedor inusitado

Numa conversa pelo Instagram, Áron Aranyossy afirma que ficou surpreso com a reação acolhedora da torcida do Fortaleza quando publicou no Twitter que torceria o Fortaleza na Hungria. O jornalista esportivo se diz apenas um fã do Tricolor cearense igual aos torcedores daqui. Clique para acompanhar a entrevista.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Por melhor campanha e cota milionária, Fortaleza encara CRB pela Copa do Brasil

Em Maceió
00:30 | Ago. 04, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O calendário cheio dará a chance ao Fortaleza de deixar para trás a derrota no Clássico-Rei com uma possibilidade de classificação histórica para as quartas de final da Copa do Brasil e premiação de R$ 3,45 milhões. Para isso, o Tricolor não poderá perder para o CRB-AL, hoje, a partir das 16h30min, no estádio Rei Pelé, em Maceió (AL).

No jogo de ida, na última quinta-feira, 29, o Galo da Pajuçara assustou, mas o Leão virou com dois gols do experiente Wellington Paulista e ganhou por 2 a 1. O resultado na Arena Castelão dá a vantagem ao time do Pici, que precisa apenas de um empate para avançar. Em caso de triunfo alagoano por um gol de diferença, a decisão da vaga será nos pênaltis.

A equipe comandada por Juan Pablo Vojvoda tenta quebrar mais uma marca e alcançar um feito: repetir a melhor trajetória do clube na história do mata-mata nacional. Em 2001, o Fortaleza superou também um adversário regional — o Bahia, na ocasião — para chegar às quartas de final, em que acabou eliminado pela Ponte Preta-SP.

Garantir presença na próxima fase do torneio faria o Tricolor somar quase R$ 10 milhões em cotas. Com mais de R$ 6 milhões embolsados, faturar a premiação pela nova classificação faria o montante acumulado chegar a R$ 9,9 milhões. Em tempos de pandemia, as cifras ganham relevância para manter as contas em dia e reforçar o elenco.

"Sabemos que é um jogo muito importante não só para nós, atletas, mas para o nosso torcedor e para o clube. Poder passar de fase em uma Copa do Brasil financeiramente é muito atraente para o clube e esportivamente nós, jogadores, queremos muito essa classificação. Estamos em busca disso e vamos fazer o nosso máximo para conseguir vencer nosso adversário e passar para a próxima fase", garantiu o zagueiro Titi.

Para o confronto, Vojvoda ganhou os reforços dos atacantes Edinho e Ángelo Henríquez, que já treinavam no Pici desde o mês passado e foram regularizados nesta semana, após a abertura da janela de transferências internacionais. Em contrapartida, o zagueiro Marcelo Benevenuto volta a ser desfalque por já ter atuado na Copa do Brasil pelo Botafogo-RJ.

O posto na defesa deverá ser ocupado novamente por Jackson. Além disso, o comandante argentino pode fazer outras alterações em razão da sequência de partidas. O ala Lucas Crispim e o atacante Robson, por exemplo, podem ser poupados pelo desgaste físico e abrirem espaço para Carlinhos e Wellington Paulista na formação.

Em busca do triunfo para reverter a desvantagem e avançar às quartas, o CRB-AL também conta com uma novidade para enfrentar o Fortaleza: o atacante Júnior Brandão foi registrado e pode ganhar a vaga de Nicolas Careca, autor do gol alvirrubro no Castelão. O velocista Jajá deve seguir entre os titulares e fazer companhia a Erik no setor, além do centroavante escolhido.

CRB-AL x Fortaleza

CRB-AL
4-3-3: Diogo Silva; Reginaldo, Gum, Caetano e Guilherme Romão; Marthã, Renan Bressan e Diego Torres; Jajá, Erik e Júnior Brandão. Técnico: Allan Aal

Fortaleza
3-5-2: Felipe Alves; Tinga, Jackson e Titi; Yago Pikachu, Felipe, Éderson, Matheus Vargas e Carlinhos (Lucas Crispim); David e Wellington Paulista. Técnico: Juan Pablo Vojvoda

Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió
Data: 4/8/2021
Horário: 16h30min (horário de Fortaleza)
Árbitro: Sávio Pereira Sampaio/DF
Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade/DF e José Reinaldo Nascimento Junior/DF
VAR: Heber Roberto Lopes/SC
Transmissão: SporTV, Premiere, Rádio O POVO CBN e Tempo Real O POVO

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Clubes e FCF pretendem requerer liberação de 40% de público nos estádios

Volta aos estádios
00:30 | Ago. 04, 2021
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em reunião na tarde de ontem, Ceará, Fortaleza e Federação Cearense de Futebol (FCF) ajustaram os últimos detalhes do protocolo para o retorno dos torcedores aos estádios, que será apresentado ao Governo do Estado nesta quarta-feira, segundo O POVO apurou. O documento solicita liberação de 40% da capacidade dos estádios e prevê acesso para torcedores com imunização completa pela vacina ou testagem prévia para Covid-19.

O protocolo estabelece dois critérios principais para o acesso dos torcedores: as duas doses da vacina tomadas — ou dose única, no caso da Janssen — ou realização de teste PCR até 48 horas antes da partida. No caso da Arena Castelão, utilizada pelos dois clubes, a liberação de 40% de público seria equivalente a 24 mil torcedores — a capacidade total atual é de 60 mil pessoas.

O pedido oficial será encaminhado ao Governo nesta quarta-feira e deverá entrar em pauta na reunião semanal do Comitê Estadual de Combate à Pandemia, na próxima sexta-feira, 6.

Diante da intenção da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de permitir a presença de público a partir das quartas de final da Copa do Brasil — e, possivelmente, ampliar para outras competições —, os dois clubes cearenses da Série A e a Federação decidiram se antecipar para tentar avançar nas tratativas.

As três partes mantinham conversas há alguns meses e já se movimentavam nos bastidores para dar esse passo. Uma reunião chegou a ser marcada com a Secretaria de Saúde do Estado, mas sem sucesso pela ausência do titular da pasta, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto.

Alvinegros e tricolores, inclusive, chegaram a firmar parceria com uma empresa de tecnologia que disponibilizaria um aplicativo para controlar a entrada dos torcedores de acordo com os requisitos.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Com a faca e o queijo na mão, Fortaleza encara o CRB pela Copa do Brasil

Opinião
00:30 | Ago. 04, 2021
Autor Alan Neto
Foto do autor
Alan Neto Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

- APENAS um mero empate, seja ele qual for, dará ao Fortaleza, hoje à tarde (16h30min), a chance de continuar nas disputa da Copa do Brasil. Jogo de volta, contra o CRB, será dentro do Rei Pelé, terreiro do clube alagoano. Implica dizer o quê? Quase nada. Sem público, todos os estádios se tornaram neutros e tristes.

- TIME por time, brasa do bairrismo pra nossa sardinha, o Fortaleza, além de levar a vantagem de todos os empates, é melhor tecnicamente do que o CRB que, embora não seja uma má equipe, tem suas limitações. Precisamente aí onde faz toda diferença. Ficou mostrado na primeira partida, aqui realizada semana passada.

- OCORRE que nem todo figurino de um jogo se repete no seguinte. Também é vero. Muito menos dá a certeza do favoritismo tricolor contra o adversário. Também concordo. Estriba-se assim, estribado na teoria do futebol, outro besteirol, porque cada partida tem uma história diferente. Pedro Álvares Cabral também repetia essa mesma história.

CIRCO MAMBEMBE

- FATO de o CRB ter em seu elenco vários jogadores que por aqui passaram e não emplacaram, trata-se de mais uma bobagem. No circo mambembe que é o futebol, um atleta pode fracassar num local e no outro tornar-se o grande ídolo do time. Esse é um dos encantos — diante de tantos desencantos — que o futebol enseja.

- INSTILE-SE outra gota. Aquela de, por ser uma equipe mais encorpada, é outra vantagem que o Fortaleza leva. Indaga-se — e quantas vezes em tantas ocasiões, tal fator foi determinante para que um time, vencesse a outra por antecipação? Não há vitória ou derrota antecipadas. Inclua-se aí também o empate, único fator no qual o Tricolor leva vantagem, por conta de ter vencido a primeira no Castelão.

CANETA SEM TINTA

- POR conta deste item, rotulado de mata-mata, quer dizer, partidas, ida e volta, sou muito mais tal modelo de competição do que a chamada légua tirana, aquela de contagem de pontos durante quase 40 rodadas. Lá pras tantas não tem torcedor que aguente fazer as contas, engolfando-se dentro dos próprios números.

- NÃO é minha caneta sem tinta que mudaria as regras do jogo. Tem sido assim em todo lugar do mundo. Não seria aqui, no futebol brasileiro, que essa regra seria mudada. O futebol precisa de um ribombar daqueles, coisas que só meus bisnetos poderão ver. Minha estrada encurta-se a cada ano.

SALTANDO BARREIRAS

- ESSE turbilhão de reviravoltas que enseja os regulamento da Copa do Brasil, é sempre bom atualizar o torcedor, ou leitor, vá lá que seja. Há muita gente nem aí para a Copa do Brasil, até a desconhecem. Porém, se ela faz parte do calendário oficial, sigamos os trâmites.

- VAMOS aos exemplos? Estamos na quarta fase da Copa do Brasil, que corresponde às oitavas de final. Não vou me estender tanto pra explicar esse negócio de quartas, oitavas, exatamente pra não barafundar ainda mais a cabeça do torcedor. Prefiro chamá-las de barreiras que vão sendo saltadas. Uma etapa vencida sugere uma outra, assim caminha a trôpega carruagem.

- NAS três fases anteriores o Fortaleza já havia deixado para trás Caxias, Ypiranga e Ceará. Na ocasião, piores do que ele. Já o CRB também deixou pra trás três, incluso aí — pasmem — o poderoso Palmeiras pelo critério de decisão por pênalti. Tem de tudo nesta Copa do Brasil.

DINHEIRO NA CONTA

- BOA vantagem da Copa do Brasil é, precisamente, as cotas que são estabelecidas por cada etapa vencida. Um, ou o principal mesmo, motivo pelo qual todos querem estar dentro da competição. Tome-se como exemplo o Fortaleza, já amealhou (que palavra!) até agora R$ 6,5 milhões, bom quinhão pra quem tem uma folha que gira em torno de R$ 3 milhões, segundo consta. Os cartolas nunca são transparentes e a maioria escorrega em mentiras banais.

- SE conseguir passar, hoje, pelo CRB, com a faca e o queijo na mão por conta da vantagem da primeira vitória, o faturamento tricolor sobe algo em torno de R$ 3 milhões. A CBF nada em dinheiro, enquanto seus dirigentes se locupletam. Mais um caiu agora e outros virão. Anos atrás, um deles foi preso nos Estados Unidos. Onde há muito dinheiro em jogo, as falcatruas florescem.

TAMANHO DO PESO

- INTERESSANTE este detalhe, no emaranhado de coisas desinteressantes. Na Copa do Brasil, gol fora de casa não tem peso dois. Ok, tudo bem, nada contra. Agora e eu com isso?

- HÁ mais um adento pró Fortaleza. Se perder por um gol de diferença, a decisão será por penalidades. Quer dizer — é tanta vantagem a favor que o Tricolor só não continuará na competição se for muito ruim. Não é tanto, mas também não é esses balaios. O CRB é pior.

- EM tudo isso, cara-pálida, tem algo aí a favor do CRB hoje? Jogando no Rei Pelé, só tem duas derrotas, para o rival CSA e Palmeiras, pela Copa do Brasil. Fazem parte dos insondáveis mistérios do futebol.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags