PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Após vender tudo em 4h, Fortaleza comercializará novas camisas para campanha contra a Covid-19

O clube já garantiu quantia suficiente para a compra de 32 capacetes Elmo, que serão doados aos hospitais do Estado. Iniciativa arrecadou cerca de R$ 40 mil até agora

Lucas Mota
15:29 | 08/04/2021
Camisas utilizadas pelo jogadores do Fortaleza em partida contra o Bahia, com a logo
Camisas utilizadas pelo jogadores do Fortaleza em partida contra o Bahia, com a logo "FO2RTALEZA", foram colocadas à venda para campanha (Foto: Leonardo Moreira / Fortaleza EC)

O Fortaleza Esporte Clube vendeu em tempo recorde - 4 horas - todas as camisas da campanha "FO2RTALEZA" para arrecadar fundos e ajudar no combate contra a Covid-19. O clube já garantiu quantia suficiente para a compra de 32 capacetes Elmo, que serão doados aos hospitais do Estado. O Tricolor segue com a ação em curso, que inclui doações avulsas a partir de R$ 5, e colocará à venda novos uniformes.

  • Quer doar? Acesse o site clicando aqui

A campanha "FO2RTALEZA" teve início na terça-feira, 6, e será concluída após a participação da equipe na última rodada da Copa do Nordeste, neste sábado, 10, quando enfrenta o Confiança, em Aracaju, Sergipe. No primeiro momento, o clube colocou à venda as camisas do jogadores que foram relacionados para o jogo contra Bahia, no Nordestão, contendo no uniforme a logomarca da ação.

O Esportes O POVO entrevistou com exclusividade o diretor de Marketing do Fortaleza, Marcel Pinheiro, que contou detalhes da campanha. Ele explicou que serão colocadas à venda agora as camisas dos jogadores que não foram relacionados para o duelo contra o Bahia, como Luiz Henrique, Ronald, Wellington Nem, entre outros.

Os uniformes da campanha foram vendidos pelo valor de R$ 400. "Colocamos um preço acima para arrecadar. O torcedor entendeu, mesmo em tempo de crise, e comprou todas até de jogadores que não entraram na partida (contra o Bahia)", explicou Marcel.

"A gente ficou muito satisfeito. Todo mundo se engajou. Ficamos muito felizes, mas não surpresos porque conhecemos o potencial e a força do torcedor do Fortaleza. Ficamos surpresos pela velocidade. Muita gente ajudou. Ficamos emocionados pelo resultado e somos grato à torcida, que sempre chega junto para ajudar em causas de cunho social", completou ele.

Os números da campanha até o momento são do primeiro relatório feito pelo clube, que se refere as primeiras 24 horas da ação, de terça-feira, 6, para quarta-feira, 7. A expectativa é de que a iniciativa já tenha arrecado mais de R$ 40 mil até esta quinta-feira, 8, para a compra dos capacetes Elmo, dispositivo que oferece oxigênio em alto fluxo para os pacientes com insuficiência respiratória e estimado entre R$ 1,2 mil e R$ 1,5 mil.

Segundo Marcel, além do valor arrecado pela venda das camisas e as doações avulsas, os próprios jogadores se juntaram para doar para a campanha. "A gente teve adesão dos atletas liderados pelo Boeck, que conseguiu levantar fundos para adquirir os equipamentos. O Boeck fez uma cota e arrecadou uma quantidade bacana de recursos. Ainda temos alguns dias até o fim da fase de grupos da Copa do Nordeste para arrecadar mais recursos", contou.

Após a conclusão da campanha, o Fortaleza realizará a compra dos capacetes Elmo e entregará à Secretaria da Saúde do Estado, que ficará responsável por disponibilizar aos hospitais. O clube espera arrecadar o suficiente para a aquisição de até 50 dispositivos.

Como surgiu a ideia para a campanha
A ideia para a ação "FO2RTALEZA", detalha Marcel, surgiu há cerca de um mês, vindo como sugestão do assessor da presidência Daniel de Paula Pessoa. "Ele é advogado e a família toda é da área da saúde. Ele falou que estava vendo a movimentação de pessoas da sociedade civil para arrecadar fundos para a compra do Elmo, que evita muitas vezes a intubação do paciente em um processo mais invasivo", disse o diretor de Marketing.

Depois do contato, o Departamento do Marketing do clube começou a montar a campanha, que teve a validação e autorização do presidente do clube, Marcelo Paz. O capacete Elmo foi criado pelo superintendente da Escola de Saúde Pública do Ceará, Marcelo Alcantara, que coincidentemente é torcedor do Fortaleza.

"Demorou um pouco a ser concebida porque precisava entrar em contato com instituições e com os atletas do clube. Conseguimos colocar em prática no jogo contra o Bahia. Tentamos unir todas as paixões e a solidariedade. A gente soltou a campanha em um dia onde há mais audiência, em dia de jogo (partida contra o Ypiranga pela Copa do Brasil)", detalhou Marcel.

Capacete Elmo
O Elmo é um dispositivo não invasivo e de baixo custo que oferece oxigênio em alto fluxo para os pacientes com insuficiência respiratória. Criado no Estado, o mecanismo de respiração artificial reduz em 60% a necessidade de internação em leitos de UTI.

O capacete é indicado para o tratamento de pacientes com quadro clínico leve e moderado, mas também auxilia casos que começam a evoluir para gravidade, de modo a evitar também a intubação do paciente.