PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Fortaleza fica no 0 a 0 com Atlético-GO no Castelão; assista os melhores momentos

Com o empate, o Tricolor do Pici segue há cinco jogos sem perder, na Série A, chegando aos 17 pontos. O Leão volta a campo pela Série A, novamente em casa, no Castelão, na quarta-feira, 7, às 21h30min, contra o Atlético Mineiro.

Domitila Andrade
20:14 | 04/10/2020
Fortaleza em 04 de outubro de 2020, Lances de Romarinho durante partida entre Fortaleza EC(CE)  x Atletico Goianiense (GO), partida pelo Campeonato Brasileiro, na noite deste domingo (4) na Arena Castelao. (Foto: KELY PEREIRA/AE) (Foto: KELY PEREIRA/AE)
Fortaleza em 04 de outubro de 2020, Lances de Romarinho durante partida entre Fortaleza EC(CE) x Atletico Goianiense (GO), partida pelo Campeonato Brasileiro, na noite deste domingo (4) na Arena Castelao. (Foto: KELY PEREIRA/AE) (Foto: KELY PEREIRA/AE)

Em jogo morno no primeiro tempo e com um Leão dominante no segundo, Fortaleza e Atlético-GO ficaram no 0 a 0, em jogo válido pela 13ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, no Castelão. As equipes fizeram uma primeira etapa estudada, concentrada na intermediária, e sem grandes chances ofensivas para ambos os lados. No retorno do intervalo, no entanto, o Tricolor conseguiu dar mais velocidade e qualidade ao ataque. Ao todo, foram 15 finalizações do Leão, quatro delas ao gol; contra apenas sete finalizações (duas ao gol) do Dragão. O gol que daria a vitória justa ao Leão, no entanto, não veio e a partida terminou sem que ninguém mexesse no placar.

Com o empate, o Tricolor do Pici segue há cinco jogos sem perder, na Série A. Chegando aos 17 pontos, o Leão está na 10ª posição na tabela. Já o Atlético-GO chega a 15 pontos e está logo atrás do Fortaleza.

O Leão volta a campo pela Série A, novamente em casa, no Castelão, na quarta-feira, 7, às 21h30min, contra o Atlético Mineiro.

O jogo

Fortaleza e Atlético-GO fizeram um primeiro tempo sem emoções. Acostumado a ditar o ritmo de jogo, valorizar posse de bola e se lançar ao ataque, o Leão adotou estratégia diferente. Rogério montou o time com linhas defensivas mais baixas. A intenção, ao que parece, era chamar o adversário para o seu campo e jogar nas falhas. Contudo, contra um Dragão pouco ofensivo, a partida acabou por se concentrar na intermediária, com chegadas pontuais.

O equilíbrio do 0 a 0 da etapa inicial se refletiu também em outros números. A posse ficou levemente para o time da casa: 54% para o Fortaleza, e 46% para o Atlético. Já as finalizações, cada time concluiu cinco vezes - com o Leão sendo mais assertivo, finalizando três vezes ao gol.

Sem espaços no jogo estudado, o Tricolor buscou se valer de escanteios - foram quatro a favor do Leão. Numa delas, a primeira chegada com mais perigo. Aos 20 minutos, Paulão cabeceou, para defesa de Jean no centro do gol. 

Aos 41 minutos, a principal chegada do Leão com bola em jogo foi com David, em jogada individual pela esquerda. O atacante passou por Janderson, infiltrou-se na área e bateu para defesa de Jean.

O segundo tempo começou com estratégia similar a do primeiro, mas com o Fortaleza com mais cara de Fortaleza. O Leão passou a conseguir adentrar com mais perigo e mais velocidade o campo adversário, ampliando a posse de bola (chegando aos 64%). Já aos 3 minutos, Romarinho pegou rebote e na entrada da área chutou forte. Bola foi na trave direita defendida por Jean.

Aos 16 minutos, David recebeu um bom lançamento longo e, pela direita chutou cruzado buscado livrar da bola do arqueiro, a bola, no entanto, Jean consegue boa defesa, e manda bola para fora. 

Tentando se aproveitar de bolas paradas, o Fortaleza marcou com Tinga, numa cobrança de escanteio. Mas o lance acabou sendo revisado, porque a bola bateu no braço de Carlinhos antes de seguir para a finalização do lateral-direito. 

Pressionado e realizando, a essa altura, um ataque contra defesa, o Leão voltou a ter uma boa chance com David, aos 25 minutos. O atacante recebeu a bola, de costas para o gol, no meio da grande área, conseguiu virar e chutar, mas foi travado pela zaga. 

Em uma das últimas jogadas de Romarinho, que saiu substituído por Fragapane, o atacante na linha de fundo vai chutar e tem o pé de apoio deslocado levemente pelo adversário. O lance foi dado como normal e nem mesmo o VAR foi acionado, mas caberia análise, uma vez que cabia interpretação de penalidade.

Aos 36 minutos, um cruzamento rasteiro na área do Dragão poderia terminar com uma boa finalização, mas bola passou na frente de Fragapane e ele não conseguiu desviar.

Tendo entrado já tarde, somente aos 40 minutos, Wellington Paulista teve ainda uma chance, já nos acréscimos, aos 52 minutos. Ele recebeu na área e tentou um voleio, mandou com perigo, mas jogada terminou com defesa. 

Com o jogo seguindo em aberto, mesmo com a pressão Tricolor, nos minutos finais Dragão passou a se lançar mais ao ataque. Contudo, nenhum dos times conseguiu converter as jogadas em gol e o empate permaneceu até o fim.