PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

"Não tivemos um dia tão inspirado na frente", avalia Rogério Ceni após derrota em Clássico-Rei

Time volta a campo no sábado, 5, contra o Flamengo

Domitila Andrade
23:21 | 02/09/2020
FORTALEZA, CE, BRASIL, 26.08.2020: Rogerio Ceni. Ceara x Fortaleza, na Arena Castelão pelo Campeonato Brasileiro. em época de COVID-19.  (Foto: Aurelio Alves/ O POVO). (Foto: Aurelio Alves/ O POVOS)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 26.08.2020: Rogerio Ceni. Ceara x Fortaleza, na Arena Castelão pelo Campeonato Brasileiro. em época de COVID-19. (Foto: Aurelio Alves/ O POVO). (Foto: Aurelio Alves/ O POVOS)

Superior em posse de bola - 73% a 27% do Ceará - e com marca de 612 passes (quase o triplo do adversário), o Fortaleza não conseguiu converter o domínio em gol no Clássico-Rei, desta quarta-feira, 2, válido pela sétima rodada da Série A. Para o técnico Rogério Ceni, além do bom posicionamento defensivo do Vovó, o resultado também refletiu um dia pouco inspirado do ataque tricolor.

"Acho que hoje, individualmente, os homens de frente não levaram tanta vantagem sobre seus marcadores. Não conseguimos vencer esses duelos que limpam o jogador pra gente poder tentar fazer a bola pra área. Desde o começo o jogo, Fortaleza foi dono das ações e procurou o jogo todo o tempo, mas, infelizmente, não conseguiu sair à frente", apontou e completou em outro trecho da entrevista coletiva guiada: "Nós não tivemos um dia tão inspirado na frente".

Rogério lamentou a chance perdida, ainda no primeiro tempo, em que Yuri César chuta na área, bola sobra para David, mas a finalização acaba interceptada por Samuel Xavier. O lance, aos 30 minutos, poderia, para o técnico mudar o jogo de figura.

Leia mais | Com gol de Vina, Ceará vence Fortaleza no primeiro Clássico-Rei da Série A 2020

"Se nós tivéssemos feito esse gol, sem dúvida nenhuma teria mudado, porque o Ceará teria que vir mais, sair um pouco mais pra jogar e deixaria os espaços que favoreceriam a gente. Nós conseguimos boas viradas de jogo, o problema é que não tivemos duelos individuais, não tivemos muita vantagem hoje, tanto o David quando esteve aberto, quanto o Osvaldo quando entrou, nós não jogamos nesse um contra um, não foi hoje nosso ponto forte, que desequilibrou contra Corinthians, contra Goiás e contra o Red Bull", analisou.

O técnico reclamou do gramado seco, ainda que sem acreditar que o fator teria interferência direta no resultado. "Gramado não é compatível pra três times jogarem e aí quando a gente vem jogar, joga com o gramado seco. Esse gramado nem foi feito pra jogar com ele sem água. É um gramado que tem de ser molhado antes do jogo. Mas vale como estratégia, o adversário tinha o mando do campo, não molharam, e é de direito do adversário, dificultou um pouco pra gente, mas não é o motivo de não ter ganho o jogo", salientou

Sobre o resultado e a estratégia do Ceará, similares a da Copa do Nordeste, o técnico avaliou que "quem se propõe a defender e defende bem é uma virtude, isso também tem que ser ressaltado".

"Jogamos contra uma boa equipe, foi um duelo parelho, já foi assim desde o começo do ano. Foram poucos gols, e sempre jogos equilibrados. Nos dois jogos (o da Copa do Nordeste e o desta quarta), eles tiveram oportunidade de sair na frente e conseguiram. É uma equipe que se posta bem defensivamente. E conseguiu manter o resultado", observou.