PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

"Eu imaginaria que o jogo seria decidido no final, por isso nós seguramos", diz Ceni sobre time titular

O Fortaleza iniciou o Clássico-Rei com Wellington Paulista e Romarinho no banco de reservas

Gabriel Lopes
01:16 | 29/07/2020
Rogério Ceni, treinador do Fortaleza (Foto: Reprodução/TV Leão)
Rogério Ceni, treinador do Fortaleza (Foto: Reprodução/TV Leão)

Houve muita surpresa com a escalação do time titular do Fortaleza contra o Ceará, pela semifinal da Copa do Nordeste, nesta terça-feira, 29. Destaques ofensivos da equipe, Wellington Paulista e Romarinho, iniciaram o embate no banco de reservas, dando lugar a Marlon e Mariano Vázquez. Rogério Ceni, treinador do Leão, explicou o motivo da decisão.

“É um time que roda bastante, teve vários jogos seguidos. O Wellington não é um garoto mais, já tinha jogado no último jogo. Se eu começo com Wellington, com Romário, com o time que venho jogando sempre, eu não tenho as trocas no final para fazer. Eu imaginaria que o jogo seria decidido no final, por isso nós seguramos. Entre ter um atleta lesionado e poder usar ele no segundo tempo, com mais fôlego para aproveitar as oportunidades dadas pelo adversário, eu prefiro a escolha baseada nisso”, disse.

Rogério também explicou as causas para que o Fortaleza saísse de campo derrotado para o Ceará, equipe que anulou praticamente todas as investidas ofensivas do Tricolor. “Nós rodamos até bem a bola, conseguimos ter nossa saída de jogo. Mas conseguimos ter pouco jogo por dentro. Fizemos muitas inversões, de lado a lado, que foi a melhor coisa que aproveitamos hoje. Mas não conseguimos penetrar. Fizemos muitos cruzamentos, contra um time hoje bem mais alto do Ceará, tanto é que vence com gol de cabeça, a partir de uma falta que não existiu, mas o bandeira resolveu dar a falta. A gente vem nos últimos dois jogos encontrando dificuldade em jogar por dentro, em vencer os duelos, principalmente os quatro jogadores de frente que tem essa característica”, ressaltou.

O treinador do Leão do Pici também falou sobre a sequência exaustiva de jogos, acerca da necessidade de reforços (velocistas no ataque e homens de criação). Ele também viu um ponto positivo na eliminação, pois o Fortaleza terá tempo para treinar antes da estreia no Campeonato Brasileiro.