PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

De virada, Fortaleza vence América-RN por 3 a 1 na relargada da Copa do Nordeste

Tricolor fez um primeiro tempo ruim, mas melhorou o desempenho na segunda etapa e pressionou o time potiguar até reverter o placar. Wellington Paulista marcou dois tentos

Brenno Rebouças
21:56 | 21/07/2020
Com dois gols de Wellington Paulista, o Fortaleza venceu o América-RN por 3 a 1 em partida válida pela Copa do Nordeste (Foto: Bruno Oliveira /FortalezaEC)
Com dois gols de Wellington Paulista, o Fortaleza venceu o América-RN por 3 a 1 em partida válida pela Copa do Nordeste (Foto: Bruno Oliveira /FortalezaEC)

O Fortaleza largou bem na reestreia da Copa do Nordeste. Em jogo isolado, no Barradão, diante do América-RN, na noite desta terça-feira, 21, o Tricolor venceu de virada, por 3 a 1. Os gols da partida foram marcados por Wellington Paulista (duas vezes) e Ederson.

Com o resultado, o Fortaleza se isolou na liderança do Grupo A, com 17 pontos e só perde a posição se o Bahia vencer o Náutico, na quarta-feira, 22, por quatro gols de diferença ou mesmo três, desde que marque cinco gols. O tricolor cearense aguarda a definição de todos os classificados do grupo, pois enfrenta nas quartas de final o quarto colocado.

Todos os gols do Fortaleza foram marcados no segundo tempo. O centroavante Wellington Paulista marocu duas vezes com a cabeça, aos 22 e 34 minutos. Ele chegou a seis tentos na temporada e 21 com a camisa tricolor. Ederson, de pênalti, já nos acréscimos, deu números finais. Romarinho fez o do América-RN, aos 39 do primeiro tempo.

O Jogo

O primeiro tempo morno. O Fortaleza apresentava uma transição lenta e poucas chances criadas. O placar do intervalo, de 1 a 0 para o América-RN, era justo, pois o time potiguar foi competente na chance mais clara que teve, com Romarinho penetrando na grande área, aos 29, e chutando por cima de Felipe Alves. Derley, que estava improvisado na lateral-direita, mas se juntava aos zagueiros no momento de defesa, estava distante e chegou atrasado para travar a finalização.

Esse não, foi porém, o único problema do improviso do volante. Sem cacoete para a posição, Derley não conduzia a bola pela lateral até o ataque (fez uma vez). Cabia a Marlon jogar mais aberto e voltar para puxar as jogadas por ali. Por vezes, eles trocavam de posição, com o segundo cruzando e o primeiro na grande área (tem boa estatura), sendo um cabeceador extra.

Era estranho que com esses problemas pela direita, o lateral-esquerdo Carlinhos fosse pouco acionado, mas ele ficou apagado. Vázquez tentava conduzir a bola pelo meio, Juninho arriscava de longe e Yuri César e Romarinho estavam bem marcados.

O América-RN andou longe de ser um adversário duro, mas resistiu enquanto tinha perna. A delegação alvirrubra treinou por cerca de dez dias, por no Rio Grande do Norte os treinos não haviam sido liberados em junho. Quando aconteceu o desnivelamento físico, a parte técnica do Fortaleza se sobressaiu.

Na segunda etapa, naturalmente, o Tricolor ganhava terreno junto com o avançar do cronômetro. Quando Wellington Paulista empatou aos 22 minutos, o Leão já havia perdido duas ótimas oportunidades. Primeiro com David, que entrou na vaga de Deley ainda no intervalo, logo aos 8 minutos. Ele recebeu um passe na grande área e ficou cara a cara com Vitor Paiva, Na finalização, o camisa 1 levou a melhor. Pouco tempo depois, Yuri Cesar e Romarinho partiram em contra-ataque. O último, invadiu área, fintou o marcador e bateu rasteiro, mas o arqueiro espalmou.

O gol de empate saiu de uma bola parada. Quando Juninho chutou forte, Vitor Paiva espalmou, David pegou a sobra e rolou para Carlinhos, mais atrás, que a levantou e Wellington Paulista desviou.

As substituições de Rogério Ceni na segunda etapa, lançando Osvaldo e Cariús a campo, também contribuíram diretamente. Foi do primeiro o cruzamento para Wellington Paulista marcar o segundo, novamente em cabeçada. Ele estava livre de marcação, pois David chamava a atenção dos zagueiros mais a frente.

O próprio Osvaldo poderia ter marcado o dele, inclusive antes, não fosse mais uma boa intervenção do goleiro americano. Em jogada individual, partindo da esquerda para a direita, o atacante ficou de frente com Vitor Paiva e tentou cobertura, que o arqueiro salvou com a ponta dos dedos.

No fim, a árbitra Thayslane de Melo entendeu que Edimar puxou a camisa de Osvaldo na grande área e marcou pênalti. Ederson cobrou e converteu. Com o resultado, o Leão se isolou na liderança do Grupo A, com 17 pontos e só perde a posição se o Bahia vencer o Náutico por quatro gols de diferença ou três gols, desde que marque mais de cinco tentos.

Fortaleza
4-2-4
Felipe Alves, Derley (David), Quintero, R. Carvalho, Carlinhos; Juninho, Vázquez (Ederson); Yuri (Osvaldo), Romarinho (E. Cariús), W. Paulista, Marlon. Téc: Rogério Ceni

América-RN
4-3-3
Vitor Paiva, André Krobel, Edimar, Edson, Michael; C. Sampaio, F. Guedes, Romarinho; W. Rato, Augusto (Wallace Pernambucano), Adílio. Téc: Roberto Fernandes

Local: Barradão, em Salvador-BA

Data: 21/7/2020

Horário: 20 horas

Árbitro: Thayslane de Melo Costa (SE/FIFA)

Assistentes: Daniel Pimentel (SE/CBF) e Vanessa Azevedo (SE/CBF)

Cartões amarelos: Mariano Vázquez (FOR) F. Guedes, Krobel, Augusto (AME)