PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Tinga fala sobre ligações de Ceni durante a quarentena e brinca: "deve estar com um milhão de novos treinos"

Lateral-direito revela preocupação do treinador com a parte psicológica dos jogadores e diz que para Rogério Ceni também deve estar sendo difícil, pelo perfil dele

Brenno Rebouças
18:03 | 13/05/2020
Rogério Ceni tem abordado os jogadores por telefone para saber como eles estão em meio ao isolamento social
Rogério Ceni tem abordado os jogadores por telefone para saber como eles estão em meio ao isolamento social (Foto: FÁBIO LIMA)

Sem qualquer atividade no Fortaleza desde o dia 17 de março, o técnico Rogério Ceni têm mantido contato com os jogadores apenas por telefone e de forma individual. O treinador tem conversado com os atletas principalmente sobre a parte psicológica, devido o isolamento social. O relato é do lateral-direito Tinga, dito em entrevista ao programa Futebol do Povo, na terça-feira, 12.

"Ele já falou comigo umas duas ou três vezes, pergunta como a gente está, sobre nossa cabeça, o psicológico, pois ele sabe que está complicado para nós. Não falou de questão tática ou técnica, acho que está muito cedo. Ele fica mais preocupado com a gente como pessoa, sabe que isso tá sendo prejudicial para todos”, disse Tinga, quando questionado se o treinador tem adiantado algum tipo de trabalho (além do físico) nesse período de isolamento.

O lateral imagina que Ceni também esteja incomodado com o momento, por ser ter o perfil workaholic (viciado em trabalho). “Ele é um cara que vive futebol 24 horas, deve estar meio doido mesmo, porque ele não para, está sempre vendo jogos, sempre tentando melhorar, sempre fazendo treino diferentes; deve estar com um milhão de treinos diferentes pra passar para nós", brincou o jogador.

Tinga acredita que essa paralisação atrapalha e muito o elenco tricolor, pelo desenvolvimento que a equipe vinha apresentando, mas acredita que o trabalho longo de Rogério Ceni - que eles já conhecem - pode ajudar numa recuperação rápida. De positivo para depois da pandemia, para o treinador, o atleta aponta o aumento de substituições autorizado pela FIFA.

"Muito bom para nós vai ser essas cinco substituições, isso vai ajudar muito. O Rogério sempre faz as três substituições e com certeza vai fazer as cinco. Isso vai melhorar muito porque a gente vai pressionar sempre o adversário, ainda mais tempo", disse.