PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Presidente do Fortaleza diz que manutenção do formato da Série A é mais importante que término dos Estaduais

Em entrevista para o Bandsports, Marcelo Paz falou que quer o fim dos estaduais e Copa do Nordeste, mas se tiver de escolher, prefere a manutenção do formato da Série A

15:56 | 30/03/2020
Dirigente encara como fundamental a manutenção do formato da Série A
Dirigente encara como fundamental a manutenção do formato da Série A (Foto: DEÍSA GARCÊZ/Especial para O POVO)

O presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, deu entrevista para o Bandsports Online nesta segunda-feira, 30, e expressou sua opinião quanto aos cenários de retorno do futebol brasileiro após a crise do novo coronavírus. O dirigente revelou que se tiver que escolher, prefere a manutenção do formato da Série A do Brasileirão com 38 rodadas em detrimento da continuidade de Estaduais e Copa do Nordeste.

"Prefiro preservar o Campeonato Brasileiro com as 38 rodadas, porque existem acordos comerciais, direitos de transmissão que foram negociados e seria um problema maior se mudássemos o formato. Patrocinadores poderiam se afastar, direitos de TV seriam questionados. Não podemos matar a galinha dos ovos de ouro, principal produto do futebol brasileiro. Desejo que os Estaduais e Copa do Nordeste sejam concluídos, mesmo que espremidos (no calendário). Porém se tiver que escolher, escolho o Campeonato Brasileiro no formato atual", revelou o mandatário.

Em outro momento da entrevista, Marcelo Paz revelou que a CBF está preparada para vários cenários de retorno do futebol. Ele explicou que se as atividades voltassem apenas em julho, competições regionais podem ter dificuldades de serem concluídos. "Se retornar em julho, Copa do Nordeste e Estaduais ficarão muito difíceis de continuar. Espero que possam continuar, mas se não der, temos que entender. A Série A deve se manter no formato atual, isso deve ser preservado", comentou o dirigente.

Por enquanto o futebol brasileiro ainda não tem data de previsão para retornar as atividades. Os dirigentes trabalham com a ideia de que deve voltar até o meio de maio, mas apenas especulações no momento.