"Não sou um gênio porque venci", afirma Rogério CeniFortaleza Esporte Clube | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


"Não sou um gênio porque venci", afirma Rogério Ceni

Treinador do Leão participa do curso da CBF para treinadores, na Granja Comary. Comandante tricolor também elogiou o atual técnico do São Paulo, André Jardin

15:45 | 14/12/2018
NULL
NULL

[FOTO1]
Rogério Ceni fez uma análise do seu trabalho como técnico de futebol, desde o início amargo pelo São Paulo até o ano vitorioso à frente do Fortaleza. O treinador foi modesto e, inclusive, garantiu que no São Paulo aplicou o mesmo método de trabalho usado no Fortaleza. Para ele, o que prejudicou sua trajetória no Morumbi foram a venda de atletas.

%2b Páginas Azuis com Rogério Ceni: "O Fortaleza continuará grande, com minha presença ou não"

 Fortaleza praticamente descarta permanência do atacante Marcinho para 2019

 

“Honestamente, qualquer time precisa de resultados, desde o Fortaleza ou times menores até Palmeiras, Flamengo. Infelizmente, o trabalho é secundário perto de um resultado. Quando você é campeão, aí tudo parece que deu certo. Fiz no São Paulo o mesmo trabalho que fiz no Fortaleza. No São Paulo, não consegui vencer. No Fortaleza, me tornei vencedor”, disse em entrevista à Espn Brasil.

 

“Não sou um gênio porque venci e não sou um estúpido porque perdi com o São Paulo. Me considero uma pessoa em aprendizado, evoluindo, é isso o que entendo da vida. Para mim, os grandes vencedores são os atletas. Eles que têm que executar, que têm que decidir dentro de campo”, concluiu.

 

Na Granja Comary para o curso da CBF voltado para treinadores, Ceni tem encontrado o atual treinador do São Paulo, André Jardine. O comandante do Fortaleza foi só elogio para o colega de profissão. "O Jardine está com a gente aqui no curso, um menino que estava na base quando cheguei no São Paulo, conhece muito bem os jogadores da categoria de base, deve aproveitar muitos. O São Paulo também é um clube muito mais estruturado do que o ano em que eu estive, vendeu R$ 180 milhões naquele ano, tem condições de fazer melhores contratações, teve esse ano e terá, acredito eu, para o próximo ano. Aliás, já fez, né? Levou o Léo [Pelé] do Bahia, o lateral da Ponte [Igor Vinícius], muito bom jogador", afirmou Rogério.

 

"Deve ter sucesso, um grande profissional, atualizado, trabalha de maneira moderna, mais ou menos do mesmo jeito que eu entendo o futebol, um cara que tem tudo para ter sucesso, torço muito por ele no São Paulo", completou o ex-goleiro e atual campeão da Série B como treinador do Fortaleza.

OUÇA TAMBÉM O NOVO EPISÓDIO DO FUTCAST, O PODCAST DO O POVO SOBRE O FUTEBOL CEARENSE:
[VIDEO1]

VEJA TAMBÉM: OS DESTAQUES DOS TIMES CEARENSES EM 2018 | NA PRANCHETE #44
[VIDEO2]


Com Gazeta Esportiva

TAGS