PUBLICIDADE
Esportes

Diretoria do Fortaleza vai pedir arbitragem de fora para o 2° Clássico-Rei do ano

15:24 | 26/02/2018
NULL
NULL

[FOTO1]A diretoria do Fortaleza vai solicitar arbitragem de fora do Estado para o Clássico-Rei do próximo domingo, 4, válido pela 2ª Fase do Campeonato Cearense. O pedido implica ao Fortaleza bancar todas as despesas do quarteto que vai comandar o jogo (deslocamento, hotel etc), além de uma taxa de R$ 10 mil para a Federação Cearense de Futebol.

 

 

O documento com a solicitação de arbitragem de outro Estado deve chegar à sede da FCF ainda nesta segunda-feira, 26, segundo o presidente do Tricolor, Marcelo Paz. O sorteio do quarteto a ser escalado para o jogo acontece na quinta-feira, 1, e a Comissão de Arbitragem da FCF (CA/FCF) precisa entrar em contato com a CBF para saber quem está disponível para domingo.

 

Segundo o presidente interino da CA/FCF, Paulo Silvio, o pagamento da taxa de R$ 10 mil precisa ser feito junto da solicitação e o clube tem até terça-feira, 27 para fazer isso. O dinheiro, segundo o Regulamento Geral das Competições da entidade, será revertida em treinamento, formação e reciclagem de árbitros.

 

O esportes O POVO ouviu o presidente do Ceará, Robinson de Castro, para saber se o Alvinegro também tinha interesse em árbitros de fora do quadro cearense e o dirigente foi lacônico: "não". 

 

Veto

 

Após a realização do primeiro Clássico-Rei do ano, no dia 4/2, que terminou em 2 a 0 para o Ceará, o Fortaleza entrou com uma representação contra o árbitro da partida, César Magalhães. A diretoria do Leão reclamava de três lances específicos e pedia veto ao nome dele para os próximos jogos. 

 

O presidente da CA/FCF, Paulo Silvio, disse ao Esportes O POVO que para o jogo de domingo atenderia a solitiação e não colocaria César Magalhães no sorteio. O ex-árbitro, no entanto, defende que não haver necessidade de solicitação de arbitragem de fora e entende que isso acontece devido uma cultura que se estabelceu no futebol cearense. "Não é solução, é uma satisfação", disse.  

 

 


 

TAGS