PUBLICIDADE
Esportes

Relembre as três vezes em que o Fortaleza disputou uma final de competição nacional

10:36 | 14/10/2017
NULL
NULL

Nos próximos sábados, 14 e 21 de outubro, Fortaleza escreve seus últimos capítulos na trajetória histórica do time na Série C 2017. O Leão do Pici disputa a final da competição contra o CSA-AL buscando um título inédito de um campeonato brasileiro. Mas esta não é a primeira vez que o clube disputa uma decisão de torneio nacional. Em 1960 e em 1968 o Tricolor chegou às finais da Taça Brasil (que recentemente ganhou o status de Campeonato Brasileiro). Em 2002, o time foi também finalista da Série B. Nas três ocasiões, a equipe ficou com o vice.
 
O Esportes O POVO relembra cada um desses momentos. Confira!
 
1960: Fortaleza finalista da Taça Brasil
O ano de marcou a primeira participação do Fortaleza na elite do futebol brasileiro. O Leão surpreendeu e disputou a final contra o Palmeiras.[FOTO2]
A Taça Brasil de 1960 foi dividida em três fases eliminatórias. Na primeira fase, os clubes foram distribuídos em quatro grupos: Grupo Nordeste, Grupo Norte (onde ficou o Fortaleza), Grupo Leste e Grupo Sul. Na segunda fase, os vencedores dos grupos Nordeste e Norte disputaram o título de campeão da Zona Norte e os dos grupos Leste e Sul o da Zona Sul.
 
Na primeira fase classificatória o Fortaleza enfrentou ABC-RN e Moto Club-MA, em partidas de ida e volta. O Tricolor conseguiu boas vantagens jogando em casa e garantiu sua classificação para fase seguinte eliminando potiguares e maranhenses na semifinal e final, respectivamente. Como campeão do grupo norte, o Fortaleza enfrentou o Bahia, vencedor do grupo Nordeste, na fase seguinte. Mantendo o embalo, o Leão venceu o duelo inicial por 2 a 1 e segurou o 0 a 0 na partida de volta, em Salvador. Com isso, o título da região estava garantido para o Fortaleza e desafios maiores viriam pela frente.
 
Na semifinal o time cearense enfrentou o Santa Cruz-PE. Antes dos jogos, os jornais pernambucanos já especulavam como seria a possível final entre o time pernambucano e o Palmeiras-SP. Mas no campo, o Fortaleza foi a Recife e conseguiu um empate por 2 a 2 na primeira partida, abalando a expectativa do Santa.
 
Na partida de volta, o Fortaleza bateu o time coral em um estádio Presidente Vargas (PV) completamente lotado. No placar final, 2 a 1 para o Tricolor do Pici, com gols de Bececê e Benedito, dupla de ataque que marcou época no futebol cearense. O elenco leonino possuía ainda Moésio Gomes como peça importante.
 
A final da Taça Brasil estava decidida: Palmeiras x Fortaleza, a grande "zebra" da competição. A Academia de Futebol palmeirense contava, entre outros nomes, com Djalma Santos, posteriormente campeão do mundo em 1962 e eleito pela FIFA como o melhor lateral-direito da história, o meio-campo Julinho Botelho e o atacante Chinesinho.
 
Na primeira partida em Fortaleza, o PV ficou lotado para assistir o time cearense jogar pela primeira vez a final de uma competição nacional. Mas o forte time paulista conquistou a vitória por 3 a 1, garantindo enorme vantagem para o jogo de volta, que seria disputado no estádio Pacaembu, em São Paulo. Na finalíssima, apesar de abrir o marcador com Charuto e conseguir o empate ao fim do primeiro tempo, o Fortaleza viu o Palmeiras novamente dominar as ações da partida. Ao fim do jogo, goleada para palmeirense: 8 a 2. O Tricolor se despediu do torneio com o artilheiro da competição: Bececê, com sete gols marcados.
 
1968
Há quase 50 anos o Fortaleza entrava em campo contra o Botafogo pela final da Taça Brasil de 1968 - que devido a atrasos, só foi disputada no ano seguinte, 1969.
[FOTO3]
A disputa da competição contou com a participação de vinte e três clubes divididos em três zonas territoriais: Sul, Centro e Norte. Pelo regulamento do campeonato quatro clubes já estavam classificados para a fase final: o Palmeiras, campeão da Taça Brasil de 1967, além de Botafogo, Santos e Náutico. O Fortaleza, campeão cearense de 1967, era o representante do Estado e partiu para disputar a fase regional do torneio, conseguindo sua classificação à fase final eliminando o Bahia.

Após Palmeiras e Santos abandonarem a competição, o Fortaleza disputou diretamente a semifinal. Contra o Náutico, o time leonino disputou três partidas, vencendo duas e perdendo uma, garantindo sua vaga na decisão, derrotando o time pernambucano fora de casa.

Na final daquela Taça Brasil (a 10ª e última edição), o Fortaleza enfrentou o Botafogo. Na primeira partida, realizada no estádio Presidente Vargas, o time carioca, treinado por Zagallo, chegava à Capital sem suas principais estrelas, Jairzinho e Paulo César Caju, que estavam servindo à Seleção. O Fortaleza contava com um time que fazia sucesso com os torcedores, contando com nomes como o meio-campista Joãozinho e os atacantes Erandir e Mozart Gomes.

A partida foi marcada pelo equilíbrio. Mesmo com um time desfalcado, o Botafogo se aproveitou do oportunismo de seu centroavante Ferreti, que marcou dois gols, e conseguiu um empate após sair perdendo por 2 a 0. Placar final em Fortaleza: 2 a 2.

A partida de volta no Maracanã prometia muita pressão aos nordestinos. A torcida botafoguense, confiante no time, foi ao estádio e viu mais uma grande exibição de Ferreti, que marcou mais dois gols e encerrou a competição como artilheiro. No fim, goleada de 4 a 0 e primeiro título nacional do Botafogo. O Fortaleza ficou com o honroso 2° lugar.


2002
Fortaleza realiza grande campanha na Série B 2002 e volta à elite do futebol nacional, mas sucumbe ante o Criciúma na final.

[VIDEO1]

Depois de nove anos o Fortaleza conseguia mais um acesso a Série A (o último havia sido em 1993). Com um time formado por jogadores como Ronaldo Angelim, Erandir, Clodaldo, Finazzi, e Vinicius, que foi artilheiro do campeonato, o Tricolor fez uma campanha sólida e de futebol vistoso que presava o toque de bola.

Na competição, os 26 clubes jogaram entre si em turno único. Os oito melhores colocados classificaram-se para as quartas-de-final. O Leão avançou em 3° e enfrentou no mata-mata o América-MG, que ficou em 6°. Após o empate sem gols em Minas Gerais, o Tricolor do Pici selou sua classificação com uma vitória por 2 a 0, no estádio Presidente Vargas. Na semifinal, o Fortaleza jogava pelo acesso contra o Paulista de Jundiaí. Na primeira partida, o time cearense praticamente garantiu o acesso com uma goleada por 6 a 2, com grande atuação de Clodoaldo, que marcou três vezes. O jogo de volta só serviu para confirmar a volta do Fortaleza à 1° divisão. Diante da torcida, o time ficou no empate por 2 a 2. Acesso garantido e final nacional a disputar após 34 anos.

O adversário na decisão foi o Criciúma, melhor time da fase classificatória. Apesar do retrospecto, o Fortaleza venceu o time catarinense por 2 a 0 num Castelão lotado na partida de ida.

No jogo de volta, em Santa Catarina, a chuva atrapalhou as duas equipes, mas principalmente o Fortaleza, que não conseguiu impor seu toque de bola, e Paulo Baier em tarde inspirada marcou três gols, sacramentando a derrota do Tricolor do Pici por 4 a 1.

TAGS