PUBLICIDADE
Esportes

Aposta interna, Léo Santos tem chance inédita na zaga corintiana

O zagueiro Léo Santos não conseguiu ter sequência como titular da equipe até agora

10:30 | 25/07/2018

    Léo será o titular da zaga ao lado de Henrique e deve ter sequência no setor pela primeira vez

O zagueiro Léo Santos terá a partir do jogo contra o Cruzeiro, na noite desta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), na Arena Corinthians, uma chance inédita desde que subiu ao elenco profissional do clube. Grande aposta interna pela boa técnica e rapidez, ele contou a lesão de Pedro Henrique, afastado até semana que vem para tratar uma tendinite no adutor da coxa esquerda. Sendo aasim, pela primeira vez ele será o provável titular dos dois próximos jogos da equipe no Campeonato Brasileiro.

Aos 19 anos de idade, o jogador subiu para o time de cima em 2016, apenas como quinta opção da equipe. Já na reta final do Brasileiro daquele ano, poré, viu Yago, Vilson e Balbuena ficarem fora da partida contra o Figueirense, em Florianópolis, sendo escalado ao lado de Pedro Henrique. Sem grandes sustos, só não teve uma estreia perfeita porque o time foi vazado no último lance da partida e empatou por 1 a 1.

Depois de esperar por chances e entrar nas partidas contra a Ponte Preta, no Paulista, e o Vitória, no Brasileiro, Léo teve outra chance também em 2017. Contra a Chapecoense, Pablo, lesionado, e Balbuena, suspenso, precisaram dar lugar mais uma vez ao atleta recém-ingressado na maioridade. Outra vez com boa participação, o defensor conseguiu ajudar na vitória por 1 a 0, com gol de Jô, que manteve o time isolado na liderança.

Neste ano, o jogador atuou em todos os amistosos da equipe, tanto na Copa Flórida quanto na inter-temporada, sendo até testado como volante frente a Grêmio e Cruzeiro. Sua única participação em jogos oficiais, porém, se deu contra o São Paulo, substituindo Pedro nos minutos finais da partida.

A dupla de partidas como titular, que deve ser complementada por ele contra o Vasco, às 11h (de Brasília), no Mané Garrincha, pode até servir para estende sua estadia na equipe. Com a saída recente de Balbuena, o técnico Osmar Loss não tem uma dupla de zaga já entrosada, apesar de considerar Pedro à frente dos outros para ser pareado com Henrique. Boas atuações de Léo, no entanto, seriam pontos de interrogação a mais na cabeça do comandante, em busca do time ideal para o segundo semestre.

Gazeta Esportiva

TAGS