PUBLICIDADE
Esportes

Time de Loss muda pouco nas estatísticas em relação ao de Carille

Desde que Fábio Carille deixou o comando técnico do Corinthians e o Osmar Loss assumiu a função foram apenas duas partidas. Apesar do pequeno números de jogos sob o comando do novo treinador, a equipe vem de dois tropeços na sequência e começa a preocupar o torcedor. No entanto, no que depender de uma comparação [?]

14:30 | 28/05/2018

Desde que Fábio Carille deixou o comando técnico do Corinthians e o Osmar Loss assumiu a função foram apenas duas partidas. Apesar do pequeno números de jogos sob o comando do novo treinador, a equipe vem de dois tropeços na sequência e começa a preocupar o torcedor. No entanto, no que depender de uma comparação estatística da equipe do ex-comandante em relação a que se apresentou nas duas partidas sob o comando de seu novo treinador as mudanças não são tão diferentes assim.

Sem alteração nenhuma nas escalações e na maneira de jogar do Corinthians, o trabalho de Osmar Loss no comando do Timão começou com uma derrota de 1 a 0 para o Millionarios-COL na última partida de fase de grupos da Copa Libertadores, em que o Corinthians já estava classificado para a próxima fase. Pelo Campeonato Brasileiro, o treinador estreou no duelo contra o Internacional, fora de casa, no Beira-Rio e acabou sendo superado por 2 a 1.

Apesar dos resultados ruins, uma comparação estatística dos dois jogos do novo técnico no banco de reservas contra os confrontos em que Fábio Carille estava a frente do banco mostra que não tiveram grandes mudanças assim na equipe. As pequenas alterações apontadas pela comparação se deve muito pela característica das partidas em que treinou a equipe.

Nesses dois jogos, a equipe de Loss teve uma pequena diminuição na posse de bola do que a apresentava com Carille, chutou um pouco mais a gol, concedeu menos chutes ao adversário, apesar de sofrer mais gols. Além disso, a equipe cruzou menos bola na área e realizou mais lançamentos do que a equipe do antigo treinador. Em compensação, a equipe agora tem sido menos faltosa do que a anterior.

Destas pequenas diferenças estatísticas algumas devem ser mais representativas do que outras para analisar o momento da equipe. O fato de ter uma menor posse de bola, por exemplo, passa muito pelo fato de ter enfrentado o Inter fora de casa e marcado o gol logo nos primeiro lances, o que acabou fazendo com que os gaúchos pressionassem mais e o time paulista ficasse mais retraído.

A diferença nos chutes realizados também é explicado pela condição dos jogos de Loss no comando. O fato de finalizar mais se deve muito a partida do último meio de semana, quando o Corinthians pressionou em busca do empate contra o Millionarios. Na ocasião, foram 20 chutes corinthianios.

Destes dados, os mais preocupantes é dos gols tomados. Conhecido por ser uma equipe que sofre pouco defensivamente, o Corinthians de Loss sofreu três gols nos dois jogos apresentando uma média de um gol e meio sofrido por partida, contra 0,66 do último treinador. Apesar de não poder ser responsabilizado por nenhum dos gols sofridos, vale lembrar que Walter vem substituindo o goleiro Cássio, que irá representar a Seleção Brasileira na Copa do Mundo.

Para melhorar essas estatísticas, Osmar Loss já pensa no próximo jogo do Corithians pelo Brasileirão, quando a equipe encara o América-MG, na Arena Corinthians, às 18h (de Brasília) da próxima quinta-feira.

Gazeta Esportiva

TAGS