PUBLICIDADE
Esportes

Pedrinho evolui fisicamente e tenta emplacar quadra inédita como titular

O meia Pedrinho viveu um domingo de estrela no Derby, sendo fundamental no único gol da vitória do Corinthians por 1 a 0 sobre o  Palmeiras. Além disso, completou o terceiro jogo seguido como titular e aguentou um total de 86 minutos em campo, segunda maior marca da carreira e melhor da temporada. Com todo [?]

06:30 | 14/05/2018

O meia Pedrinho viveu um domingo de estrela no Derby, sendo fundamental no único gol da vitória do Corinthians por 1 a 0 sobre o  Palmeiras. Além disso, completou o terceiro jogo seguido como titular e aguentou um total de 86 minutos em campo, segunda maior marca da carreira e melhor da temporada. Com todo esse retrospecto, o garoto não esconde a vontade de seguir iniciando os jogos, dessa vez um novo desafio: uma partida de Libertadores da América, contra o Deportivo Lara, na Venezuela, quinta, às 21h45 (de Brasília).

?Fico muito feliz pela sequência que eu estou tendo, falando ali com meus companheiros eu ouço que tenho que suportar mais as partidas. Estou bem fisicamente, nem me desgastei tanto, na verdade. Se for preciso, posso jogar sem problemas. Tomara que venha a quarta partida?, comentou o canhoto, que começara o embate frente ao Ceará, mas em um time misto usado por Carille. Contra Vitória e Palmeiras, porém, ele se juntou aos principais atletas e foi até peça importante nos triunfos.

No domingo, depois de um começo sem grandes emoções dos dois lados, partiu dele uma jogada individual, passando no meio da marcação de Bruno Henrique e Thiago Santos antes de servir Jadson. O lance seguiu em toques rápidos até Rodriguinho, sem goleiro, anotar o tento da vitória alvinegra.

?O jogo estava um pouco cauteloso das duas partes.Foi uma jogada muito rápida, ia trazer a jogada para dentro, dar uma acalmada, achei que ia complicar, mas vi que tinha espaço entre os dois jogadores. Pude ver o Jadson livre depois e ainda bem que terminou em gol?, avaliou ele, frustrado que um chapéu sobre Diogo Barbosa, pouco depois, não tenha resultado no mesmo fim. ?Tentei dar um chapéu nele ali e consegui, mas não saiu o gol?, avaliou.

Cobrado no início do ano por ter apresentado um quadro de deficiência de ferro no sangue, algo visto como empecilho para ele aguentar o ritmo das partidas, Pedrinho recebeu também elogios do técnico Fábio Carille. Após relutar em começar partidas com o garoto, ele deixou claro que a possibilidade de um quarto jogo seguido entre os titulares é plausível.

?Temos que ressaltar o trabalho do departamento de fisiologia. Tínhamos dúvidas sobre se ele aguentaria 60 ou 70 minutos, hoje (domingo) jogou bem mais do que isso. Mostra que estamos no caminho certo?, observou o treinador, que terá três dias para definir a equipe para encarar os venezuelanos.

Os alvinegros se reapresentam na manhã desta segunda-feira, quando está marcado um jogo-treino entre os reservas da equipe e a Seleção sub-20, que utiliza as dependências do CT Joaquim Grava para um período de treinamentos. Os corintianos ainda trabalham na manhã da terça, antes de embarcarem em voo fretado para a Venezuela.

Gazeta Esportiva

TAGS