PUBLICIDADE
Esportes

Imparável na base e revelador de joias: Loss é aposta desde 2013

Caíque França; Léo Príncipe, Pedro Henrique, Léo Santos e Carlos; Mantuan, Maycon, Pedrinho e Rodrigo Figueiredo. Essa é a base de um time que, reforçada por nomes que saíram do Corinthians recentemente, como Malcom, Léo Jabá e Carlinhos, já teria em comum a experiência de ter trabalhado com o novo técnico da equipe: Osmar Loss, [?]

07:00 | 23/05/2018

Caíque França; Léo Príncipe, Pedro Henrique, Léo Santos e Carlos; Mantuan, Maycon, Pedrinho e Rodrigo Figueiredo. Essa é a base de um time que, reforçada por nomes que saíram do Corinthians recentemente, como Malcom, Léo Jabá e Carlinhos, já teria em comum a experiência de ter trabalhado com o novo técnico da equipe: Osmar Loss, eleito como sucessor de Carille para o restante da temporada e aposta do clube desde que foi contratado.

Ao todo, o novo comandante teve em suas mãos 17 atletas com pelo menos uma partida na equipe profissional (veja abaixo a relação), sendo 14 deles titulares em alguma oportunidade. Tudo isso em uma das épocas mais vencedoras da história do Alvinegro, com notórias dificuldades maiores para que os garotos da base fossem aproveitados.

Nome com alguma experiência no futebol profissional, comandando o Internacional como interino em 2011 e 2012, e o Bragantino por alguns meses, em 2015, Loss foi contratado no final de 2013 pelo Alvinegro, já na segunda investida dos corintianos. Gaúcho com ideias que agradavam a diretoria pela proximidade com Mano Menezes e Tite, Loss foi contratado já com a ideia de chegar no posto em que inicia nesta quarta.

O objetivo, é claro, só foi alcançado por grande contribuição do próprio Loss, treinador de maior sucesso do sub-20 corintiano. Logo na sua primeira Copa São Paulo, assumindo uma equipe que caíra precocemente em 2013 em todos os torneios que disputou, levou a equipe para a final, perdendo para o Santos, sua única derrota em quatro edições do torneio.

Mais que isso: mostrou ao profissional um promissor Malcom, ainda aos 16 anos, que ganhou a vaga nos treinos após dmeonstrar bastante habilidade. Como o torcedor sabe, o canhoto acabou sendo titular da equipe já naquele ano e ajudando bastante na conquista do título Brasileiro da temporada seguinte. Depois, o atleta rendeu cerca de R$ 30 milhões na sua venda ao Bordeaux.

Em 2015, semanas depois de assegurar a ainda única conquista do Brasileiro sub-20, ele foi além: montou um time que dominou os adversários no título da Copinha de 2015, com destaque para a vitória por 3 a 0 na semifinal, contra um São Paulo de notória boa geração da base (Luiz Araújo e David Neres estavam entre os tricolores). Os frutos foram vários: Caíque França, Léo Príncipe, Marciel e, principalmente, Guilherme Arana e Maycon.

Depois de ser cedido para o Bragantino, mas não conseguir se estabelecer no time do interior, Loss voltou para outras campanhas de sucesso. Em 2016, contando mais uma vez com Maycon, acabou perdendo o título nos pênaltis para o Flamengo, em mais uma final. Daquela equipe, destacaram-se Léo Santos, ainda no profissional, e Léo Jabá, vendido para o Akhmat Grozny, da Rússia, no ano passado.

Para fechar, em 2017, pouco antes de ser chamado para integrar a comissão técnica de Fábio Carille, Loss comandou sua última Copinha, com mais um título. De quebra, entregou para o profissional o agora lateral direito Mantuan, o lateral esquerdo Carlos, reserva naquela campanha, e o destaque da companhia: o meia Pedrinho, suplente no ano anterior, hoje titular absoluto da equipe.

Comandados por Loss que atuaram no profissional:

Goleiros

Caíque França*

Zagueiros

Léo Santos*

Pedro Henrique*

Rodrigo Sam*

Laterais

Léo Príncipe*

Mantuan*

Guilherme Arana*

Guilherme Romão*

Volantes

Warian

Maycon*

Marciel*

Meias

Zé Paulo*

Matheus Pereira*

Pedrinho*

Atacantes

Malcom*

Gustavo Tocantins

Carlinhos

Gazeta Esportiva

TAGS
Imparável na base e revelador de joias: Loss é aposta desde 2013Sport Club Corinthians Paulista | Times | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes

Imparável na base e revelador de joias: Loss é aposta desde 2013

Caíque França; Léo Príncipe, Pedro Henrique, Léo Santos e Carlos; Mantuan, Maycon, Pedrinho e Rodrigo Figueiredo. Essa é a base de um time que, reforçada por nomes que saíram do Corinthians recentemente, como Malcom, Léo Jabá e Carlinhos, já teria em comum a experiência de ter trabalhado com o novo técnico da equipe: Osmar Loss, [?]

07:00 | 23/05/2018

Caíque França; Léo Príncipe, Pedro Henrique, Léo Santos e Carlos; Mantuan, Maycon, Pedrinho e Rodrigo Figueiredo. Essa é a base de um time que, reforçada por nomes que saíram do Corinthians recentemente, como Malcom, Léo Jabá e Carlinhos, já teria em comum a experiência de ter trabalhado com o novo técnico da equipe: Osmar Loss, eleito como sucessor de Carille para o restante da temporada e aposta do clube desde que foi contratado.

Ao todo, o novo comandante teve em suas mãos 17 atletas com pelo menos uma partida na equipe profissional (veja abaixo a relação), sendo 14 deles titulares em alguma oportunidade. Tudo isso em uma das épocas mais vencedoras da história do Alvinegro, com notórias dificuldades maiores para que os garotos da base fossem aproveitados.

Nome com alguma experiência no futebol profissional, comandando o Internacional como interino em 2011 e 2012, e o Bragantino por alguns meses, em 2015, Loss foi contratado no final de 2013 pelo Alvinegro, já na segunda investida dos corintianos. Gaúcho com ideias que agradavam a diretoria pela proximidade com Mano Menezes e Tite, Loss foi contratado já com a ideia de chegar no posto em que inicia nesta quarta.

O objetivo, é claro, só foi alcançado por grande contribuição do próprio Loss, treinador de maior sucesso do sub-20 corintiano. Logo na sua primeira Copa São Paulo, assumindo uma equipe que caíra precocemente em 2013 em todos os torneios que disputou, levou a equipe para a final, perdendo para o Santos, sua única derrota em quatro edições do torneio.

Mais que isso: mostrou ao profissional um promissor Malcom, ainda aos 16 anos, que ganhou a vaga nos treinos após dmeonstrar bastante habilidade. Como o torcedor sabe, o canhoto acabou sendo titular da equipe já naquele ano e ajudando bastante na conquista do título Brasileiro da temporada seguinte. Depois, o atleta rendeu cerca de R$ 30 milhões na sua venda ao Bordeaux.

Em 2015, semanas depois de assegurar a ainda única conquista do Brasileiro sub-20, ele foi além: montou um time que dominou os adversários no título da Copinha de 2015, com destaque para a vitória por 3 a 0 na semifinal, contra um São Paulo de notória boa geração da base (Luiz Araújo e David Neres estavam entre os tricolores). Os frutos foram vários: Caíque França, Léo Príncipe, Marciel e, principalmente, Guilherme Arana e Maycon.

Depois de ser cedido para o Bragantino, mas não conseguir se estabelecer no time do interior, Loss voltou para outras campanhas de sucesso. Em 2016, contando mais uma vez com Maycon, acabou perdendo o título nos pênaltis para o Flamengo, em mais uma final. Daquela equipe, destacaram-se Léo Santos, ainda no profissional, e Léo Jabá, vendido para o Akhmat Grozny, da Rússia, no ano passado.

Para fechar, em 2017, pouco antes de ser chamado para integrar a comissão técnica de Fábio Carille, Loss comandou sua última Copinha, com mais um título. De quebra, entregou para o profissional o agora lateral direito Mantuan, o lateral esquerdo Carlos, reserva naquela campanha, e o destaque da companhia: o meia Pedrinho, suplente no ano anterior, hoje titular absoluto da equipe.

Comandados por Loss que atuaram no profissional:

Goleiros

Caíque França*

Zagueiros

Léo Santos*

Pedro Henrique*

Rodrigo Sam*

Laterais

Léo Príncipe*

Mantuan*

Guilherme Arana*

Guilherme Romão*

Volantes

Warian

Maycon*

Marciel*

Meias

Zé Paulo*

Matheus Pereira*

Pedrinho*

Atacantes

Malcom*

Gustavo Tocantins

Carlinhos

Gazeta Esportiva

TAGS