PUBLICIDADE
Esportes

Ralf relembra decisão em último encontro com o Santos no Pacaembu

Ralf havia prometido na apresentação que estaria à disposição contra o Santos

12:15 | 03/03/2018

O volante Ralf, que volta a ser relacionado para uma partida no clássico deste domingo, contra o Santos, no estádio do Pacaembu, às 17h, pelo Campeonato Paulista, esteve em campo no último embate entre as equipes disputado no campo municipal paulistano. Contente pelo retorno, o meio-campista relembrou da partida no dia 12 de maio de 2013, quando o Timão venceu por 2 a 1 com gols de Paulo André e Paulinho, na final do Campeonato Paulista.

Na lembrança, ele traz, além da vitória, a recordação de ter estado com companheiros que pôde reencontrar em seu retorno ao clube. Cássio, Danilo e Emerson Sheik também fizeram parte do time que venceu o último clássico no Pacaembu e encaminharam o título estadual naquela ocasião, confirmado uma semana depois com empate por 1 a 1 na Vila Belmiro.

?É de suma importância reencontrar esses companheiros. Quando se trata de clássico, é um campeonato à parte. Rever os meus amigos que foram campeões mundiais comigo me deixa muito feliz e motivado, fora os outros jogadores que chegaram depois e somam bastante ao grupo?, comentou Ralf ao site oficial do clube.

Campeão paulista, bicampeão brasileiro, campeão da Libertadores, do Mundial de Clubes e da Recopa Sul-Americana pelo Timão, o volante corintiano, hoje primeiro reserva de Gabriel no setor, ainda relembrou de outros duelos marcantes frente ao rival.

?O clássico contra o Santos na Libertadores foi importante (vitória na semifinal da Libertadores de 2012), quando fiz gol contra eles no Pacaembu também marcou bastante (4 x 2 no Brasileiro de 2010). Jogos contra o Santos são marcantes. Desde a época do Neymar era sempre um confronto direto e difícil. Respeitamos a equipe deles e faremos um bom jogo no domingo?, pontuou.

Depois de algumas semanas de treinos intensivos na academia do CT Dr. Joaquim Grava, Ralf cumpriu o que havia falado na sua apresentação e colocou-se à disposição do técnico Fábio Carille. Apesar de toda a experiência, o volante campeão mundial sente a mesma ansiedade de sua primeira passagem pelo Corinthians.

?É como se fosse minha primeira passagem. A partir do momento que não tiver esse frio na barriga, tem que parar de jogar. Isso eu aprendi com Ronaldo. Estou muito motivado para voltar e poder ajudar o professor e os companheiros?, completou.

Gazeta Esportiva

TAGS